Na estreia de Maicosuel, Thomaz e Pratto decidem para o São Paulo

Com raras exceções, quem esteve no Morumbi enfrentou trânsito em uma noite de quinta-feira para ver Maicosuel, a grande aposta para substituir Luiz Araújo. Mas saiu de lá feliz graças a velhos conhecidos: Thomaz e Pratto.

Foi do meia, que entrou exatamente no lugar de Maicosuel, o gol que abriu o placar de 2 a 0 contra o Vitória, em um jogo mais complicado do que se imaginava. Como ficou demonstrado com o olhar de alívio que dominou o estádio aos gritos de Pratto, responsável por balançar as redes nos acréscimos.

Não foi de encher os olhos, mas o suficiente para cumprir a missão de não perder pontos em casa. A equipe de Rogério Ceni alcançou nove pontos em cinco rodadas, subindo para o sexto lugar, dentro da faixa da tabela do Brasileiro que dá vaga na Libertadores. De acréscimo, o ânimo para visitar o Corinthians, no domingo.

Pior para o Vitória, lanterna do torneio, com um ponto. E o time até teve um gol anulado (empataria em 1 a 1, mas um toque de mão de Kieza foi flagrado), mas não mostrou qualidade nem para aproveitar a oscilação tricolor no jogo.

A alternação dos comandados de Rogério Ceni ocorreu, principalmente, pela dificuldade na criação. Mais uma vez, apostou no 3-4-2-1, com Militão no trio defensivo, e soube travar o Vitória, o que não é grande mérito. O problema foi conseguir ir além disso.

Bruno e Marcinho faziam uma dupla pela direita que se alternava nos erros de cruzamento. Quando Jucilei abandonava a cabeça de área para ajudá-los, o time ficava sem saída de bola. Do outro lado, Junior Tavares e Maicosuel estavam completamente esquecidos. O estreante só apareceu mesmo com cabeçada em rara jogada pela direita de sucesso.

No intervalo, o esforçado Maicosuel, que custou 1 milhão de euros (quase R$ 4 milhões) para sair do Atlético-MG, saiu e foi trocado por Thomaz, ex-Jorge Wilstermann, da Bolívia. E o jogo mudou.

Ceni alterou o esquema para o 4-2-3-1, adiantando Militão para ser volante e deixando Pratto com mais companhia. O time acelerou o ritmo, ocupou o ataque na primeira metade do segundo tempo e fez o gol em chute certeiro de Thomaz.

Depois, ciente do cansaço de seu time, Ceni ampliou o fôlego de seus marcadores e contou com uma sequência de defesa de Renan Ribeiro e um gol anulado de Todinho.

Em meio ao sufoco, o velho conhecido Pratto tranquilizou tudo. Fez um golaço, o terceiro dele no Morumbi na terceira vitória do time por 2 a 0 em casa na largada do Campeonato Brasileiro.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 0 VITÓRIA
Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data-Hora: 8/6/2017 – 19h30
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn (PR) e Luciano Roggenbaum (PR)
Público/renda: 12.536 pagantes/R$ 286.468,00
Cartões amarelos: Bruno (SAO), Willian Farias (VIT)
Cartões vermelhos: –
Gols: Thomaz (18’/2ºT) (1-0) e Pratto (47’/2ºT) (2-0)

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Militão, Maicon e Lucão; Bruno, Cícero (João Schmidt, aos 28’/2ºT), Jucilei e Júnior Tavares; Marcinho (Wellington Nem, aos 31’/2ºT), Pratto e Maicosuel (Thomaz, no intervalo). Técnico: Rogério Ceni.

VITÓRIA: Fernando Miguel; Patric, Fred, Alan Costa e Thallyson; Willian Farias, Uillian Correia (Cleiton Xavier, aos 23’/2ºT) e Gabriel Xavier (Todinho, aos 32’/2ºT); David, Kieza e Neilton (Paulinho, aos 11’/2ºT). Técnico: Alexandre Gallo.

2 comentários em “Na estreia de Maicosuel, Thomaz e Pratto decidem para o São Paulo

  1. O Militão também marcou um gol, quando estava 1 a zero, salvando em cima da linha o gol de empate do Vitória, isso depois de duas defesas gigantes do Renan.

  2. Paulo Pontes, quando alguem vai tomar providencia com referencia a preparação fisica do São Paulo.
    Ja passou da hora de mudanças esta tudo errado, time pra 45 minutos, se continuar assim vamos brigar pra não cair.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*