Muricy Ramalho revê fantasma do ‘mata-mata’ que o derrubou em 2009

Muricy Ramalho voltou ao São Paulo como salvador para evitar o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, mas terá de encarar agora um antigo problema de sua passagem vitoriosa pelo clube. Tricampeão nacional nos pontos corridos, o treinador inicia na quinta-feira a disputa do mata-mata da Copa Sul-Americana, formato no qual ele não teve sucesso no Tricolor.

Enquanto levava o São Paulo aos triunfos no Brasileirão em 2006, 2007 e 2008, Muricy ficou marcado por acumular fracassos em disputas de ida e volta. Tanto que acabou deixando o clube justamente depois de ser eliminado pelo Cruzeiro nas quartas de final da Taça Libertadores de 2009 – ele venceu a competição dois anos depois com o Santos.

O melhor desempenho dele no mata-mata pelo Tricolor aconteceu no primeiro ano no comando, em 2006. O time paulista defendia o título sul-americano, mas foi derrotado pelo Internacional na decisão. Meses depois, conquistaria a primeira das três taças do Brasileirão.

Já na temporada seguinte, o “trauma” começou pelo Paulistão. Um dos favoritos ao título, o São Paulo perdeu de forma surpreendente por 4 a 1 para o São Caetano, na semifinal, no Morumbi, e ficou fora da final. Antes do bi nacional, o time caiu diante do Grêmio nas oitavas da Libertadores e aumentou os números ruins nesse quesito.

Em 2008, quase uma repetição. O Tricolor não passou das semifinais contra o Palmeiras no estadual. Na Libertadores, conseguiu dar um passo a mais do que na temporada anterior, mas também não foi longe. Mesmo com o centroavante Adriano no elenco, a eliminação nas quartas veio nos minutos finais contra o Fluminense, no Maracanã.

O ápice das críticas ao treinador pelos resultados ruins no mata-mata aconteceu em 2009. De novo, o time foi eliminado na semifinal do Paulista, desta vez para o Corinthians. Logo em seguida, um novo insucesso na Libertadores, diante do Cruzeiro, nas quartas. Depois disso, em comum acordo com a diretoria, ele deixou o cargo.

Em 1994, ainda como auxiliar de Telê Santana, Muricy dirigiu o Expressinho na conquista da Copa Conmebol. No mata-mata, o Tricolor eliminou Grêmio, Sporting Cristal e Corinthians antes de bater o Peñarol na final.

Atual campeão da Copa Sul-Americana, o São Paulo vê o torneio como uma salvação para uma temporada de rendimento muito instável e de poucos resultados expressivos. Não só pela chance de conquistar um título, mas também para levá-lo novamente à Libertadores.

Apesar de o time continuar ameaçado pelo rebaixamento no Brasileirão, Muricy Ramalho deve usar os principais jogadores na quinta-feira, contra o Universidad Católica, às 22h, no Morumbi. Chance para o São Paulo amenizar a pressão, e o treinador acabar com uma escrita negativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.