Muricy elogia ambiente e deixa aberta possibilidade de Fabuloso ser titular

Após o triunfo do São Paulo sobre o Vitória, por 2 a 1, em Salvador, na tarde deste domingo, o goleiro Rogério Ceni deixou o gramado elogiando o ambiente do clube. A palavra do capitão do time ganhou apoio do técnico Muricy Ramalho, que apontou o comportamento de seus jogadores como o ponto alto dessa campanha do Tricolor, vice-líder do Brasileiro e semifinalista da Copa Sul-Americana.

– Esse grupo é muito bom, sabe que o técnico não tem preferência. Eu escalo quem eu acho que é bom para o time – afirmou Muricy.

O treinador foi questionado sobre a opção de poupar jogadores na Bahia, numa semana marcada por longas e desgastantes viagens. Ele disse que se baseou em exames que apontaram a necessidade de alguns descansarem e que informou a decisão em conversa com os atletas na véspera da partida.

– Conversei muito com eles ontem, disse que ia mexer mesmo e todos aceitaram. Aceitam porque sabem que o técnico tem experiência nesse sentido. Nosso ambiente é excelente – completou ele.

– O futebol é simples.  Ano passado tínhamos grandes jogadores, mas tínhamos um ambiente muito ruim, de atletas que não se comprometeram com o clube, e brigamos para não cair – afirmou Muricy, lembrando da má campanha de 2013.

Quem também foi alvo de elogios do chefe foi o atacante Luis Fabiano, autor do primeiro gol são-paulino e do passe para o segundo, de Kaká. Ele deixou aberta a possibilidade de o camisa 9 retomar um lugar entre os titulares no duelo com o Internacional, quarta-feira, no Morumbi, em jogo adiantado da 35ª rodada.

– Ele fez uma função boa, fazia tempo que ele não jogava sem a bola. É difícil para um centroavante ocupar um espaço. Todos têm que ocupar o espaço sem a bola. Ele brigou muito. A gente vai ver o que vai fazer. Estamos revezando um pouco o time, temos grandes jogadores que ficaram fora hoje. O Luis jogou bem e agora a gente vai ver se mexe no time. Aqui todo mundo tem a cabeça feita que todas as mudanças são para (o bem) do time. Se tiver que ficar fora, o jogador aceita – afirmou Muricy.

Pelo que disse o técnico, apenas um jogador não deve entrar nesse revezamento imposto pelo cansaço: o meia Paulo Henrique Ganso.

– A gente, quando escolhe alguém pra fazer o revezamento, nunca escolhe o Ganso porque é um jogador que quem corre é a bola. É um atleta muito inteligente, que sabe se posicionar. Está em condição física muito boa, ele foi disparado o melhor em campo, não se desgasta à toa. É um cara diferente mesmo.

Com a vitória em Salvador, o São Paulo chegou aos 62 pontos, ainda na caça ao Cruzeiro, líder do campeonato. Depois de enfrentar o Internacional, na quarta, pega o Palmeiras no final de semana, novamente no Morumbi.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*