Lugano lidera movimento no Uruguai que cogita greve

Um dia após ter voltado a treinar no São Paulo, após se recuperar de uma contratura na panturrilhadireita, o zagueiro Lugano pediu liberação do clube para viajar para o Uruguai e foi atendido pela direção tricolor. Apesar da ausência ser atribuída inicialmente a problemas particulares do jogador, a motivação da viagem foi outra: o são-paulino lidera um movimento no futebol uruguaio que pode decretar uma greve geral dos atletas do país. O repórter André Hernan, do SporTV, deu detalhes dos motivos da viagem no “Seleção SporTV”.

– É um problema não só particular, mas importante para o futebol uruguaio. O Lugano, junto com o Diego Godín (Atlético de Madri) e do Luiz Suárez (Barcelona), encabeçam uma espécie de revolução dos atletas em relação à entidade que comanda o futebol e à TV que tem os direitos. Os jogadores inclusive estão ameaçando fazer uma greve, uma paralisação geral do futebol uruguaio, e o Lugano foi lá para discutir isso – explicou.

Segundo o repórter, o a diretoria Tricolor Paulista levou em consideração a importância do jogador no movimento dos jogadores uruguaios ao decidir ao dispensá-lo. Na semana passada, os atletas do país decidiram interromper o Torneio Clausura até que a Associação dos Jogadores Profissionais do Uruguai convocassem uma assembleia – a próxima rodada está prevista para o fim de semana.

– Os atletas cobram que seja melhor distribuído o dinheiro da cota de TV lá para os clubes e também a questão de patrocínio de camisa. Como é uma data importante para o futebol uruguaio, e o Lugano é muito forte nesse quesito, o São Paulo atendeu o pedido (…) Está um conflito muito grande, até o ex-presidente Mujica está no meio. Conversando com o Lugano, ele me disse: “Pode ser que tenha uma paralisação geral porque os jogadores acordaram” – completou Hernan.

m processo de transição após a lesão, Lugano trabalhou fisicamente na manhã desta terça-feira antes de ser liberado para viajar. O jogador deve retomar as atividades na quinta-feira e estar no grupo de sábado que enfrenta o Santos, às 17h, no Pacaembu, quando o Tricolor tenta se distanciar ainda mais da zona de rebaixamento.

– Ele voltou a treinar ontem (segunda), mas estava concentrando, ficando nos jogos, ia no ônibus. Ele e o Hernanes têm tido uma função muito grande dentro do vestiário, há um respeito muito grande pelo Lugano e ele tem cobrado também. Contra o Fluminense (derrota por 3 a 1), ele foi muito forte para cima de alguns jogadores – afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*