Lucas e Pacaembu: após grandes momentos, dia de despedida

Foi no Pacaembu que Lucas garantiu uma vaga entre os titulares do São Paulo, marcou seu primeiro gol contra um rival, participou de um jogo histórico e conquistou o principal título das categorias de base. É no Pacaembu que ele entra em campo neste domingo para enfrentar o Corinthians, no sempre tão aguardado clássico Majestoso.

Além de tudo que já envolve o confronto por si só, a partida marcará a despedida do camisa 7 do estádio. Se nenhuma partida for remarcada até o fim deste ano, o Tricolor não atuará mais no Pacaembu. Como Lucas será jogador do Paris Saint-Germain (FRA) a partir de janeiro de 2013, ele não terá mais oportunidades de jogar onde viveu momentos importantes na carreira.

Mas se dizer que o palco é a terceira casa do atacante são-paulino…

– Eu acredito que não. O Morumbi é minha segunda casa porque é o estádio do São Paulo, do time que eu jogo, onde estou acostumado a jogar. Agora, terceira casa é difícil selecionar uma. O Pacaembu é um estádio muito legal, muito bacana, que tenho boas lembranças e é muito bom de se jogar, mas não considero minha terceira casa não. Considero um lugar com boas lembranças – respondeu Lucas, ao LANCENET!.

Em 2010, justamente em um clássico diante do Corinthians, ele fez sua última partida como reserva do Tricolor. Aos 18 anos, recém-promovido da base e ainda com o apelido de Marcelinho, havia participado de um minuto da partida com o Atlético-PR, depois jogado mais três contra o Cruzeiro, até entrar no intervalo do Majestoso: 45 minutos bastaram para não sair mais do time (relembre abaixo esse e outros feitos de Lucas no estádio).

Se, com apenas 20 anos, o garoto já guarda quatro boas lembranças do Pacaembu, colocar mais uma peça nessa coleção não é nada impossível para quem vale R$ 108 milhões.

Com data marcada para deixar o São Paulo, muitas despedidas estão por vir. E, para dar adeus a um estádio tão significativo, nada melhor do que derrotar o maior rival:

– Quero deixar a melhor impressão possível. Quero deixar uma vitória diante de uma grande equipe. Não só no Pacaembu, mas nesses últimos meses que restam com a camisa do São Paulo, quero dar o meu melhor, o meu máximo, quero deixar o time na Libertadores e conquistar um título também, se possível. Então, eu vou lutar muito para isso.

Confira um Bate-Bola exclusivo com Lucas:

Foi no Pacaembu, em um clássico com o Corinthians, que você se garantiu no time. Considera aquele jogo importante para sua carreira?

Sem dúvida. Lembro muito bem. Eu entrei no intervalo, consegui fazer algumas jogadas e depois daquele jogo fui titular na partida seguinte, contra o Vasco e não saí mais do time. Então é um jogo que a gente nunca esquece. O primeiro clássico a gente nunca esquece.

Também no Pacaembu, você fez o primeiro gol em clássicos, contra o Palmeiras. O estádio te dá sorte?

Eu lembro muito bem desse jogo também, não tem como esquecer. Meu primeiro clássico como titular e meu primeiro gol em clássicos. Agora essa história de sorte eu não acredito muito não. Eu acho que o Pacaembu traz boas lembranças. Sorte acho que depende muito da minha competência e do meu trabalho.

Você também esteve presente lá para participar da despedida do Ronaldo da Seleção. Foi um dos momentos mais especiais da sua vida?

Participar do jogo da despedida de um ídolo do futebol mundial foi muito especial. Ronaldo é um cara que eu cresci vendo jogar, vendo ser o melhor do mundo e campeão mundial. Jamais vou esquecer também.

Outro momento marcante é a conquista da Copa São Paulo. Desses quatro jogos, qual você considera o mais importante no estádio?

A Copa São Paulo foi uma conquista muito importante. É o principal campeonato da base e fazia tempo que o São Paulo não ganhava. Montamos um time excelente e fomos campeões invictos. Alguns meses depois, subi para o profissional. O Pacaembu estava lotado, meu primeiro jogo com estádio lotado, um jogo emocionante com o Santos, decidido nos pênaltis. Agora é difícil definir qual foi o mais importante, acho que todos foram especiais e marcantes para mim.

Quatro momentos marcantes de Lucas no Pacaembu

25/01/2010 Na final da Copa São Paulo de Futebol Júnior, São Paulo e Santos empataram por 1 a 1 no tempo normal. Na decisão por pênaltis, o Tricolor levou a melhor. Lucas era o camisa 10 de um time que tinha Casemiro, Bruno Uvini e Lucas Gaúcho.

22/8/2010 O São Paulo foi para o intervalo perdendo por 2 a 0 para o Corinthians. Na volta, o então técnico Sérgio Baresi colocou Lucas no lugar de Marlos. O garoto de 18 anos jogou bem, apesar da derrota por 3 a 0, e virou titular da equipe no jogo seguinte.

19/9/2010 No início do segundo tempo, Lucas aproveitou desvio de Jorge Wagner e acertou um belo chute para marcar seu primeiro gol em clássicos. Depois, o garoto ainda deu passe preciso para Fernandão decretar a vitória por 2 a 0 sobre o Palmeiras.

7/6/2011 A Seleção Brasileira organizou um amistoso com a Romênia para realizar a despedida de Ronaldo Fenômeno do futebol. Lucas foi convocado e entrou na segunda etapa no lugar de Robinho. O Brasil venceu por 1 a 0, com gol do atacante
Fonte: Lance – Foto: Vipcomm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*