Início empolgante, lesão e troca: Sidão busca recomeço no São Paulo

No dia 21 de janeiro de 2017, Sidão se candidatava a ídolo da torcida do São Paulo. Naquela noite, em Orlando, nos Estados Unidos, ele lembrou os bons momentos de Rogério Ceni ao defender dois pênaltis contra o arquirrival Corinthians, sendo o herói do título da amistosa Copa Flórida. Só que, desde então, muita coisa mudou para o veterano goleiro, que neste domingo tentará agarrar uma nova chance no gol tricolor.

Depois de se consagrar em solo norte-americano, ainda durante a pré-temporada do elenco tricolor, Sidão só voltou a jogar mais sete vezes. A última delas foi em 5 de março, há mais de cinco meses, portanto. Foi na tranquila vitória por 4 a 1 sobre o Santo André, no Morumbi, pela sétima rodada da primeira fase do Campeonato Paulista.

Aquela tarde dominical, porém, não foi boa para o jogador de 34 anos. Além de ter falhado no gol do Ramalhão, o goleiro sofreu uma lombalgia, que o tirou dos treinos por mais de um mês. Nesse período, ele viu Renan Ribeiro vencer a concorrência de Denis, se destacar na meta são-paulina e se firmar na equipe treinada por Rogério Ceni, então técnico do Tricolor, que, inclusive, havia pedido a contratação de Sidão.

Quando voltou a trabalhar com o grupo, sabia que não reassumiria a titularidade tão cedo. E ele estava certo. Com contrato até o final de 2018, Sidão soube esperar pacientemente a sua chance, que virá às 16 horas (de Brasília) deste domingo, contra o Avaí, na Ressacada, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A oportunidade foi dada pelo sucessor de Ceni, Dorival Júnior, que recentemente completara um mês de trabalho à frente do comando do São Paulo. A decisão pela troca foi de caráter puramente técnico, segundo o treinador, que na última sexta-feira não expôs as falhas que motivaram a ida de Renan Ribeiro ao banco de reservas.

“Está sendo desenvolvido um trabalho muito sério com todos os goleiros. Fico muito satisfeito com isso e espero que o Sidão seja feliz nessa volta. Não descarto o Renan numa possível volta futura, ele tem que ter tranquilidade numa situação como essa. Pontuei a ele que isso não é o fim do mundo, ele pode repensar e buscar uma melhora futura”, explicou Dorival.

Com Sidão no gol, o São Paulo tem retrospecto favorável. Em nove partidas, a equipe acumulou cinco vitórias, três empates e apenas uma derrota. Logo em seu retorno, um confronto direto, já que o Avaí também luta contra a zona de rebaixamento.

Uma oportunidade para agradar e fazer com que a diretoria repense a procura por outro goleiro. “Que o Sidão possa aproveitar essa chance da melhor forma possível”, desejou Dorival Júnior.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

5 comentários em “Início empolgante, lesão e troca: Sidão busca recomeço no São Paulo

  1. Na verdade, o tricolor não tem um bom goleiro. É trocar seis por meia dúzia, infelizmente. Mas se for Renan ou Sidao continuarei torcendo e espero para 2018 outro goleiro verdadeiramente bom.

  2. Murilo: vai cagar seu viado! Renan Ribeiro catou no campeonato Paulista e no Brasileirão mt mais do que o Sidao catou esse ano e o ano passado. Então se vc n sabe avaliar então cala a boca e lê oq os outros falam! Renan é mito

  3. Nunca entendi o interesse do Rogério pelo Sidão. Aquele negócio de que ele seria bom com os pés, na realidade, era apenas porque o treinador exigia que ele não desse chutão; mas muitas vezes ele entregava o ouro e o treinador relevava porque era por sua ordem que ele o fazia. Não pega nada!!!

  4. Renan é uma bosta. Já deu. Teve o primeiro turno para se firmar e não conseguiu. Entregou uns 4 ou 5 jogos.
    Sidão precisa ser um pouco mais testado. O segundo turno é dele.
    Para 2018, goleiro novo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*