Há quase um ano sem marcar, W.Nem ainda não desencantou no São Paulo

Um dos principais reforços para o ataque, o atacante Wellington Nem ainda não desencantou com a camisa tricolor. Vindo do Shakhtar Donetsk-UCR por empréstimo até o fim do ano, o camisa 21 disputou 13 partidas pelo São Paulo e não balançou as redes em nenhuma delas.

O jejum é ainda maior se considerado o período em que defendeu o clube ucraniano. O último gol de Wellington Nem foi marcado no dia 1º de maio de 2016, quando fez o segundo tento na vitória do Shakhtar por 3 a 0 sobre o Dínamo de Kiev. Ao todo, são 28 jogos de seca, portanto.

Revelado pelo Fluminense, Nem começou a se destacar no Figueirense. Em 2011, anotou 10 gols em 30 jogos pelo time de Florianópolis. Atacante que atua pelas beiradas, voltou para as Laranjeiras em 2012, quando marcou mais nove vezes e ajudou o Tricolor carioca a conquistar o Campeonato Brasileiro daquele ano.

Em junho de 2013, foi vendido por cerca de R$ 25 milhões ao clube de Donetsk, onde teve um início complicado, com muitas lesões, o que o impediu de deslanchar no time ucraniano. Foram apenas oito gols em três anos e meio de Shakhtar.

Sem brilhar no Leste Europeu, Nem quis voltar ao Brasil e viu no São Paulo a oportunidade de recuperar o bom futebol. Em sua terceira partida pelo Tricolor, a primeira oficial, sofreu um estiramento na coxa esquerda na derrota por 4 a 2 para o Grêmio Osasco Audax, na estreia do Campeonato Paulista.

Recuperou-se da lesão e vem substituindo o machucado Cueva no meio-campo tricolor nos últimos jogos. No empate por 0 a 0 com o Defensa y Justicia-ARG, na última quarta-feira, pela primeira fase da Copa Sul-Americana, desperdiçou duas chances claras de gol e, junto com elas, a oportunidade de acabar com o jejum.

“Infelizmente não pintou o gol, mas se Deus quiser vai sair”, disse, confiante. “Eu me doei, corri o máximo, ainda mais com um a menos”, contou o veloz atacante de 25 anos.

A próxima oportunidade que Wellington Nem terá para findar o jejum é o jogo de volta contra o Linense, neste sábado, às 16 horas (de Brasília), no Morumbi, pelas quartas de final do Campeonato Paulista. Como venceu o primeiro duelo por 2 a 0, o Tricolor pode perder por até um gol de diferença que, mesmo assim, avanças às semifinais.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

5 comentários em “Há quase um ano sem marcar, W.Nem ainda não desencantou no São Paulo

  1. Vou repetir o mesmo comentário que fiz, quando soube da contratação dele:
    Wellington NEM devia ter vindo!
    Torci para queimar a língua, mas infelizmente não aconteceu isso.

  2. Sobre o Rogerio “Neymar do Nordeste”:

    “(…) Além do aspecto de campo, o São Paulo fez um negócio espetacular do ponto de vista financeiro. Em 2015, pagou R$1,1 milhão por 65% dos direitos do jogador. No meio do ano passado, comprou os outros 35% pagando mais 600 mil. Um investimento total de R$1,7 milhão por 100% do atleta.
    A equipe da Ilha do Retiro pagou R$2,5 milhões e adquiriu 25% no empréstimo. Em maio, pagará mais 3,5 milhões por outros 25% para contar em definitivo com o camisa 17. Resumindo: o São Paulo lucrou R$4,3 milhões em pouco mais de um ano e meio e ainda manteve 50% dos direitos econômicos, podendo faturar em uma futura venda.”
    Fonte: Falabandana.com

  3. Nem vai marcar tão fácil! Aliás, não é só marcar: o cara não dribla, não chuta, não cruza e, quando tenta ajudar na marcação, só comete faltas bobas. Se fosse possível deveriam devolvê-lo já, dando chances para a garotada da base que é muito melhor que ele.
    Outra coisa também: mesmo inexperiente, o Caíque, como ala num sistema 3 5 2, vai se dar muuuito melhor que o Buffa substituindo o Jr Tavares pela esquerda!!!

  4. Na boa, no final do ano devolve o atleta para Ucrânia, pois seu futebol deve ter ficado por lá. Tem jogador da base como Caíque e Léo Natel, que com um pouco de paciência e alguns jogos farão esquecer rapidinho esse W. Nem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*