Grupo de Juvenal muda discurso e usa até site oficial para fazer campanha

A ala de situação do São Paulo, liderada pelo presidente Juvenal Juvêncio, mudou o discurso de retardar o processo eleitoral no clube e começa, pela primeira vez neste ciclo, a promover o processo político para o pleito presidencial, marcado para abril de 2014.

Na última quinta-feira, um dia após a derrota para o Kashima Antlers (JAP) na Copa Suruga, o site oficial do clube publicou nota sobre um almoço entre Juvenal e conselheiros vitalícios, na sede da presidência, para discutir “temas relacionados com o momento atual e o futuro do clube”.
Aliados de Juvenal admitem que a intenção da nota publicada é mostrar que o presidente tem o apoio de figuras ilustres do Conselho Deliberativo mesmo em meio à maior crise da história do São Paulo. Coordenador de campanha, o vice-presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, afirma que a medida se fez necessária após o pré-candidato de oposição, Marco Aurélio Cunha, ter antecipado o processo.
“Isso se antecipou, e não foi por nossa causa, e nós temos agir em função disso. Todos os grupos que apoiam a situação estão se movimentando. Não dá para ignorar. Todos os grupos estão se articulando, isso está feito”, diz Leco.

Até a última semana, membros da diretoria são-paulina diziam que seria um erro antecipar o processo eleitoral. Para Marco Aurélio Cunha, a mudança de postura é resultado dos recentes fracassos no futebol. O pré-candidato de oposição também critica a veiculação do conteúdo pró-Juvenal no site oficial do clube.
“Há um enfraquecimento político por conta do futebol. Há uma tentativa desesperada de se reagir o mais rápido possível. Processo político do São Paulo sempre existiu. Mas, na atual gestão, era dissimulado. Ninguém podia falar sobre política do clube. Agora, como é debatido, eles precisaram exercer essa maneira de colocar oficialmente. Tiveram de abrir o processo que sempre existiu. Talvez não seja muito correto usar o veículo oficial do clube, que deve falar de questões esportivas”, afirma Cunha.
O presidente Juvenal Juvêncio, que governa atualmente em sua segunda reeleição após aprovar mudança no estatuto do clube, ainda não definiu quem indicará para sua sucessão. Ele trabalha com duas possibilidades: a do próprio Leco ou do vice-presidente social e de esportes amadores, Roberto Natel. Não está descartada, porém, uma terceira via. As duas já idealizadas não encontram apoio unânime entre os eleitores de situação e dificultam a definição.
Para participar do pleito, as chapas de situação e oposição precisam reunir as assinaturas de 55 conselheiros vitalícios cada uma, entre 160 no total.
Fonte: Uol
Nota do PP: é um rolo compressor. Amigos, o Juvenal ultrapassou o ponto máximo da empáfia e hoje não consegue mais olhar ao seu redor e ver o mal que está causando para o São Paulo. Ele acha, de verdade, que é a melhor coisa que aconteceu na história do Tricolor. É uma questão que só os psicólogos  (para evitar processo) podem explicar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.