‘Gol contra o Inter reflete a filosofia do Osorio’, elogia Michel Bastos

Juan Carlos Osorio não costuma comemorar os gols marcados por suas equipes, mas agiu de maneira diferente na vitória do São Paulo sobre o Internacional no último sábado. Quando Michel Bastos concluiu troca de passes iniciada por ele próprio e que girou toda a área colorada, o colombiano vibrou muito, em mudança de atitude explicada pelo camisa 7 nesta terça-feira.

– Aquele gol é a filosofia imposta por ele já. Sempre temos a posse da bola. Osorio gosta de impor o modo de jogo e a gente tem que acatar. O gol contra o Inter reflete o que é pedido para a gente por ele. No intervalo falamos que o espaço ia abrir se tivéssemos paciência para tocar e o lance mostra qualidade e tranquilidade, mostra a cara do São Paulo – destacou o meia, em entrevista no CT da Barra Funda.

Michel ainda acredita que o trabalho de Osorio também pode ser bem representado pela série inédita na temporada de quatro partidas sem gols sofridos. Segundo o vice-artilheiro do ano com dez tentos anotados, os treinos e o desempenho dos zagueiros merecem ser ressltados, mas o que tem feito a diferença para valer é a dedicação maior dos jogadores de frente.

– Cabe à filosofia do treinador, que sempre fala que quando tomamos gols criticam a defesa, mas muitas vezes é porque um meia ou atacante não pressionou ou não voltou. Ou o ataque não segurou a bola. Vem da cobrança dele de todos ajudarem sem a bola. Mas tem que parabenizar os zagueiros e esperar que venham mais jogos sem sofrer gols – elogiou.

Ainda sobre os métodos e filosofias do trabalho de Juan Carlos Osorio, Michel também comentou os problemas do colombiano em encontrar peças de reposição para tantos desfalques nos últimos jogos. O meia lembra, com bom humor, que a dificuldade do treinador é proporcional à dos atletas para tentar descobrir quem será escalado a cada partida. As dúvidas da vez são sobre os retornos de Rogério Ceni e Luis Fabiano.

– Ainda não sei o time, para ser sincero (risos). É o modo de trabalho dele. Chegou falando que teria esse jeito. Temos a volta de jogadores que aumentam as opções para mudar (Pato, Wesley e Thiago Mendes cumpriram suspensão contra o Inter). Fica mais fácil para ele. E já estamos acostumados e aceitamos muito bem. Luis Fabiano voltou, treinou bem e não sentiu nada. Só não garanto que vá jogar ou não. Não vi ainda o grupo que vai para o jogo – disse, antes de falar sobre o Mito:

– Ele é fominha (risos), gosta de jogar. Se ele tiver que jogar em uma partida que precisa e sem uma perna, ele vai. Não sei como ele está hoje. Vi no campo, mas não sei quais vão para o jogo. Em um clássico com o Santos na Vila Belmiro todos querem estar, então deve ter a possibilidade de vê-lo amanhã (quarta-feira, 22h).

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*