Gilberto responde de bate-pronto e diz que prefere ser artilheiro a titular

Parecia uma bola sobrando na área. A decisão teria que ser em frações de segundo. E Gilberto mostrou que vive realmente uma grande fase como homem-gol. Artilheiro do São Paulo e do Paulistão, com 9 gols, ele vive uma situação inusitada porque é reserva do argentino Lucas Pratto mas um dos destaques do time e considerado peça-chave do técnico Rogério Ceni. Convidado na tarde desta segunda-feira no “Seleção SporTV”, foi rápido no gatilho na resposta ao apresentador Marcelo Barreto:

– Prefere ser titular ou artilheiro? – perguntou Marcelo Barreto ao jogador,

– Artillheiro – disse o atacante, que estava numa parte da arquibancada do Morumbi, acompanhado do repórter Edgar Alencar.

A situação, apesar de inusitada, não parece incomodar o atacante. A média sensacional de 10 gols em 11 partidas disputadas no ano – no último sábado, como titular, balançou as redes mais duas vezes na goleada do São Paulo por 5 a 0 sobre o Linense, carimbando a presença do clube nas semifinais do Paulistão – não muda o jeito tranquilo de avaliar o momento. Gilberto nem economiza ao rasgar elogios ao titular da posição, o argentino Lucas Pratto.

– No começo da minha carreira tive uma média parecida no Santa Cruz. Mas nada que se compare a jogar no São Paulo e ter uma média dessa. Sou um jogador importante pro grupo. A gente sabe que vai precisar de todos na temporada. Sei que o Lucas Pratto é o titular da posição e vai continuar sendo até o dia em que o Rogério quiser me colocar e precisar também. Eu sempre falo que o Lucas é um cara gente boa, estou aprendendo com ele. Espero estar ensinando a ele as poucas coisas que eu sei. A gente vai trocando ideias pra ajudar o São Paulo, até porque o cara é um jogador de seleção. E eu pretendo um dia ter a felicidade de chegar um dia à Seleção.

são paulo x linense gilberto (Foto: Marcos Ribolli)Na goleada por 5 a 0 sobre o Linense, Gilberto, decisivo, atuou como titular e marcou mais dois gols (Foto: Marcos Ribolli)

Sobre a dificuldade de formar ataque com Pratto por terem características semelhantes, tentou fugir à pergunta mas mostrou sinceridade.

– Rogério sabe do que precisa a cada jogo. Quando quiser contar comigo e o Pratto sabe que pode contar e vamos conseguir fazer os gols juntos. Eu já joguei de lado, um tempo no Internacional, o Damião era o atacante. Mas fui me tornando centroavante mais com o passar do tempo, e hoje posso dizer que sou um centroavante. Mas se o Rogério pedir, vou fazer com o maior orgulho. Ele vai saber que não vou poder jogar 90 minutos no mesmo ritmo que um cara que joga na ponta, acho que em 45 minutos dá pra fazer num alto nível.

Ser artilheiro como reserva em uma competição como o Paulistão é uma situação nova na carreira de Gilberto.

– Nunca fui artilheiro do campeonato sendo reserva. Até na passagem que eu tive no Vasco eu cheguei um pouco tarde ao grupo e consegui fazer alguns gols no estadual. Mas realmente essa passagem e a passagem que eu tive no Santa Cruz são as melhores que tive no começo de estadual. No Brasileiro, acho que a Portuguesa foi meu auge. Espero continuar na sequência ajudando o São Paulo neste Estadual e começar o Brasileiro bem, fazer bastante gol, e passar a minha média no Brasileiro, que está na Portuguesa hoje.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*