Gasto com futebol do SP dobra em 10 anos e faz lucro com jogadores “sumir”

O São Paulo alcançou nos últimos anos lucros recordes com a venda de jogadores do elenco. Mesmo com o aumento das receitas ligadas à negociação de atletas, porém, o clube paulista enfrenta uma crise financeira, com atrasos dos direitos de imagens. A situação atual tem explicação: os gastos com o departamento do futebol dobraram desde 2005, com aumento constante a cada ano.

Em entrevista ao UOL Esporte, o vice-presidente de finanças do São Paulo, Osvaldo Vieira de Abreu, admite que o cenário atual tem relação com o aumento dos vencimentos pagos aos atletas.  “O gasto com futebol nos últimos anos explodiu em termos de salários. É bem diferente daquela época (em 2005)”, disse o dirigente.

Segundo os últimos balanços financeiros divulgados pelo São Paulo, as despesas do futebol na temporada 2005 atingiram R$ 70,9 milhões  — o valor corrigido pela inflação (índice IPCA) é de R$ 114,7 milhões. No ano passado, o clube gastou R$ 235,5 milhões com o departamento, aumento real de R$ 120,8 milhões.

No mesmo período, a receita do futebol passou de R$ 92,3 milhões (com a correção, R$ 150,2 milhões) para R$ 195,6 milhões em 2014, acréscimo de R$ 45,4 milhões. Ou seja, as despesas aumentaram 105,3%, contra 30,2% das arrecadações ligadas ao departamento. E, pela primeira vez desde 2005, o futebol fechou no vermelho (déficit de R$ 39,9 milhões).

De acordo com Osvaldo, o São Paulo já deu início à retenção de gastos com o futebol. A ideia é voltar ao patamar de anos atrás. “Estamos tentando. O trabalho é grande e o resultado demora para aparecer. Os custos aumentaram demais. A gente precisa voltar à realidade e isso está acontecendo”, disse o dirigente.

Há dez anos, por exemplo, o clube gastava R$ 36,5 milhões (R$ 59,4 milhões, corrigidos) com os salários e direitos de imagens. Somados os 12 meses do ano passado, o valor chegou a R$ 113,5 milhões, acréscimo de 91,1%.

Déficit depois de 9 anos

Desde a temporada 2005, a soma do valor relativo à venda de jogadores chegou a R$ 458,6 milhões. Em 2005, o São Paulo lucrou R$ 26,1 milhões. Em 2013, com a venda de Lucas, o valor chegou a R$ 147,9 milhões. No ano seguinte, sem uma grande venda, fechou a R$ 40,9 milhões.

A diferença foi decisiva para que o São Paulo fechasse 2014 com déficit de R$ 100,1 milhões, em uma situação incomum, pois nos nove anos anteriores, o clube fechou no azul, com montante de R$ 37,8 milhões. Em apenas um ano, entretanto, o São Paulo “perdeu” todo lucro, fechando o período 2005/2015 com déficit de R$ 62,3 milhões.

Segundo Osvaldo, ainda há expectativa de o clube evitar um cenário parecido com o de 2015. Para isso, o São Paulo conta com a entrada de um valor relativo à venda de jogadores, como a provável saída de Rodrigo Caio, cuja transferência pode render até R$ 44,1 milhões aos cofres são-paulinos.

“Não vai chegar (à situação de 2014) em função das medidas que já foram tomadas. Se vender jogadores, dá para fechar no azul”, disse Osvaldo, que ressaltou ainda a importância de o time voltar a ganhar títulos. “Isso é o mais importante de tudo. Melhora em tudo, em termos de marketing, renda”, finalizou.

O São Paulo ainda busca fechar com um patrocinador master, depois de dez meses sem a venda do principal espaço na camisa. Em 2012, o clube só acertou com uma empresa em setembro. Assim, viu a arrecadação com publicidade e propaganda cair: de R$ 30,6 milhões para R$ 11,1 milhões. Em 2013, o valor chegou a R$ 33 milhões. Depois, em 2014, fechou em R$ 22,5 milhões.
Despesas do São Paulo com o futebol  

2005: R$ 70,9 milhões (R$ 114,7 milhões, corrigidos)
2006: R$ 70,3 milhões
2007: R$ 110,7 milhões
2008: R$ 104,9 milhões
2009: R$ 113,9 milhões
2010: R$ 132,1 milhões
2011: R$ 145,9 milhões
2012: R$ 189,7 milhões
2013: R$ 248,1 milhões
2014: R$ 235,5 milhões
Receitas do São Paulo com o futebol  

2005: R$ 92,3 milhões (R$ 150,2 milhões, corrigidos)
2006: R$ 97,8 milhões
2007: R$ 146,4 milhões
2008: R$ 118,8 milhões
2009: R$ 123,4 milhões
2010: R$ 138,9 milhões
2011: R$ 159,2 milhões
2012: R$ 220,7 milhões
2013: R$ 305,8 milhões
2014: R$ 195,6 milhões
Receita com a venda de jogadores

2005: R$ 26,1 milhões
2006: R$ 21,8 milhões
2007: R$ 76,1 milhões
2008: R$ 30,5 milhões
2009: R$ 14,3 milhões
2010: R$ 29,7 milhões
2011: R$ 25,0 milhões
2012: R$ 46,3 milhões
2013: R$ 147,9 milhões
2014: R$ 40,9 milhões

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.