Fominha, Jadson sente dores no joelho e expõe falta de opções no setor criativo do São Paulo

Jadson é o único jogador do São Paulo que participou de todos os 15 jogos deste Brasileirão. Mas ele não tem vaga cativa no time apenas porque é o jogador que mais deu assistências no campeonato (cinco). O camisa 10 nunca sai da equipe também porque não existe reserva para ele no São Paulo.

O meio-campista recebeu uma pancada que lhe causou dores no joelho depois da partida contra o Fluminense no meio da semana. Na véspera do jogo deste domingo, às 16h, contra o Grêmio no Morumbi, Jadson ainda não tinha sua escalação confirmada.

Se não mostrar condição de jogo, o técnico Ney Franco terá problemas para substitui-lo e manter o mesmo estilo de jogo da equipe. Com 12 atletas de meio-campo no elenco, o São Paulo só tem um com características semelhantes às de Jadson: o argentino Marcelo Cañete, que se recupera de uma grave lesão no joelho e não tem data para voltar a jogar. Além dos dois, há um time inteiro de volantes e meia-atacantes no elenco – Denilson, Maicon, Casemiro, João Schmidt, Cícero, Wellington, Fabrício, Dener, Paulo Assunção, Rodrigo Caio, Lucas…

Como única mente criativa disponível para o time, o camisa 10 precisa estar em campo sempre e é o jogador que viveu mais intensamente a maratona de jogos pelo Brasileiro, Copa do Brasil e Sul-Americana. A última vez em que foi poupado de uma partida já tem cinco meses.

O pouco tempo de recuperação entre um duelo e outro preocupa a comissão técnica da equipe, que precisa conviver com problemas musculares no elenco e tem menos condições de fazer um trabalho de recuperação para os jogadores que se machucam. O atacante Luis Fabiano já está fora de combate. O volante Denilson e o zagueiro Rhodolfo já foram poupados de treinos para não aumentarem o desgaste.

“O calendário é massacrante, mas reclamar dele é chover no molhado”, afirmou o chefe da equipe médica são-paulina, José Sanchez.

Mesmo que ainda não tenha correspondido às expectativas que se criaram em torno dele quando foi contratado, Jadson não tem decepcionado na função de servir aos homens de frente da equipe. Com cinco assistências, ele lidera o ranking de “garçons” do Brasileiro, ao lado de Bernard, do Atlético-MG, e Deco, do Fluminense.  O meia também é o vice-artilheiro do São Paulo na competição, com cinco gols (dois a menos que Luis Fabiano).

Por ser quase imprescindível ao esquema de Ney Franco e não ter um substituto, não será surpresa se Jadson for escalado contra o Grêmio mesmo se não estiver com 100% de suas condições físicas.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*