Flu e São Paulo repetem cenário de 2011, mas lembranças ficam de lado

O Fluminense encarou o São Paulo na primeira rodada do Campeonato Brasileiro de 2011. A derrota por 2 a 0 não teve grande peso para a campanha do clube das Laranjeiras no torneio. No entanto, aquele jogo voltou à tona por uma coincidência: foi disputado em São Januário. Nesta quinta-feira, às 21h, as duas equipes voltam a se enfrentar no mesmo palco. Fluminense e São Paulo deixam as lembranças de lado, mas discordam quando o assunto é sobre como o estádio pode influenciar no placar.

Independentemente do local – o Engenhão não pôde receber o duelo por falta de condições do gramado –, o Fluminense espera um duelo equilibrado com o São Paulo. A superstição é algo que o atacante Fred não coloca em questão durante a sua análise da partida.

“O jogo é difícil. Estávamos costumados a jogar no Engenhão, mas teremos de fazer de São Januário a nossa casa, impor nosso ritmo. Necessitamos dos três pontos para buscarmos os líderes e não me apego à superstição. Tem times que faço mais gols e a dificuldade é a mesma. Não tem essa de entrar mais ou menos confiante”, avisou o capitão tricolor.

Ao contrário de Fred, o técnico do São Paulo aposta que o pouco costume do Fluminense em jogar no campo do Vasco pode fazer a diferença. “Jogar em São Januário, para eles, é como jogar em campo neutro. Coloquei isso para os meus atletas. O jogo será realizado na cidade do Rio de Janeiro, mas, em termos de campo, é neutro. A tendência é ter maior número de torcedores do Flu, e isso vai acontecer, mas tem alguns detalhes interessantes para ser um jogo muito igual”, analisou Ney Franco.

Os protagonistas e autores dos gols daquele duelo em São Januário em 2011 não estarão em campo. Dagoberto se transferiu para o Internacional e Lucas – confirmado como reforço do PSG nesta quarta-feira – defende a seleção brasileira nos Jogos Olímpicos. Para Ney Franco, é fundamental se preocupar com o presente. Por isso, não há espaço para pensar na partida do último ano.

O São Paulo também foge das coincidências, apesar de aquela vitória na primeira rodada do Brasileirão-2011 ter dado fôlego. Após vencer o Vasco fora de casa, a equipe conquistou mais quatro vitórias na sequência. É esse tipo de embalo conquistado com triunfos longe de seus torcedores que Ney Franco foca.

“Eu projeto um duelo tático muito interessante. A entrada do Cícero já começa um pouco desse duelo tático, ele me dá a opção de jogar como atacante ou como meio campo. É um jogo para a equipe que melhor dominar o meio campo, quem tiver isso vai levar vantagem. A gente fica na expectativa. Para entrar na luta pelo título, temos que ter vitórias fora de casa. Então, a gente está montando uma equipe para ir ao Rio de Janeiro e tentar a vitória”, reforçou o treinador são-paulino.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*