Estatísticas refletem domínio são-paulino sobre o Cruzeiro no Mineirão

O São Paulo fez uma de suas melhores partidas nesta temporada, senão a melhor, contra o Cruzeiro, nesta quarta-feira, no Mineirão. Apesar de não conseguir a classificação para as oitavas de final da Copa do Brasil em Belo Horizonte, a superioridade do time de Rogério Ceni em campo foi inegável, como atestam as estatísticas.

Novamente o Tricolor teve o domínio do jogo. O time do Morumbi teve 57% de posse de bola, contra 43% do Cruzeiro, mesmo com o rival jogando em casa. Tendo de se jogar para o ataque, principalmente depois do gol de falta de Thiago Neves, o São Paulo foi obrigado a rodar a bola para encontrar espaços na defesa adversária. Foram 467 passes dos visitantes contra 278 dos anfitriões.

O São Paulo também finalizou bem mais que os cruzeirenses. Ao todo foram 14 chutes do Tricolor, contra nove da equipe do técnico Mano Menezes. No segundo tempo os visitantes arremataram o mesmo número de vezes que os rivais durante todo o jogo.

São Paulo mostrou que pode reverter a derrota para o Corinthians na semifinal do Paulistão (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Ao contrário do jogo de ida no Morumbi, o São Paulo também apresentou uma melhora no sistema defensivo. Se antes o setor vinha sendo pouco eficiente, nesta quarta-feira mostrou consistência, inclusive, desarmando mais que o Cruzeiro. Consequentemente, a postura do Tricolor fez com que a equipe cometesse mais faltas (15 contra 11).

Fora da Copa do Brasil, caminho considerado mais curto para conquistar uma vaga na próxima Libertadores, o São Paulo volta o foco no Campeonato Paulista. No próximo domingo o time terá mais uma difícil missão de reverter o resultado de uma eliminatória, desta vez contra o Corinthians, em Itaquera. Basta saber se Rogério Ceni conseguirá manter o nível de atuação de seus jogadores.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

4 comentários em “Estatísticas refletem domínio são-paulino sobre o Cruzeiro no Mineirão

  1. Que beleza, quantos títulos ganham com estatísticas?

    Pegas as estatísticas e fica vendo no sofá o final da copa do Brasil.

    Saco cheio de jogar bem e ser eliminado.

  2. A meu ver, o problema maior do time é manter a intensidade durante toda a partida. Enquanto os jogadores estiveram “inteiros”, sufocaram a raposa e poderiam ter ampliado o marcador ainda no primeiro tempo. Depois, cansados, entendo que fica difícil jogar tão intensamente. Talvez com menos jogos e mais preparo físico esta parte poderá melhorar. Outra coisa, que também ajudaria, é treinar as linhas para se posicionarem de forma a estarem sempre juntas, o que diminuiria a correria…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*