“Ele me traiu e deu um golpe”, diz Juvenal sobre Aidar

O ex-presidente do São Paulo Juvenal Juvêncio respondeu em tom forte a uma entrevista de seu sucessor, Carlos Miguel Aidar, publicada nesta segunda-feira pelo jornal “O Estado de S. Paulo”. Depois de novas declarações de Aidar sobre a má saúde financeira do clube, Juvenal diz que o presidente deu um golpe nos próprios eleitores.

“O relacionamento deixou de existir. Juvenal foi meu amigo durante 30 anos”, afirmou Aidar, rompendo ligações com Juvenal Juvêncio. O sucessor não negou a possibilidade de sonegação de informação por parte do ex-presidente. “Uma hipótese é essa, a outra é que ele também desconhecia o problema. Porque o Juvenal nunca foi ligado à gestão. Não era o perfil dele. Gostava de modernizar o clube, investir, tinha uma paixão pelo CT de Cotia”, afirmou ao jornal.

Na resposta, Juvenal Juvêncio falou pela primeira vez em golpe. Ele admite culpa por ter indicado Aidar à presidência, mas afirma que nada disso teria acontecido não fosse uma total mudança de postura do sucessor.

“Achei uma barbaridade. A instituição é forte, importante. Ele tem de dar exemplo. O Carlos Miguel mudou completamente, radicalmente. Ele está irreconhecível. Se você espremer, o resultado é zero. Ele foi escolhido por mim. Eu não estou excluindo a minha responsabilidade. Eu estou exteriorizando e enfatizando a minha responsabilidade, mas ele me traiu e deu um golpe nos eleitores. Perdeu a legitimamente. Ele disse numa reunião de diretoria: ‘eu estou aqui posto pelo Juvenal Juvêncio’. Era uma coisa natural, porque havia 24 anos que ele não ia no clube. Não sou um cara de bravatas. Eu mandava dois ingressos para ele assistir aos jogos, mas ele nunca foi e ia passear de barco. Carlos Miguel não tem amor pelo futebol. Mas ele queria voltar, me telefonou e resolvi pegar um ex-presidente e colocar lá”, disse Juvenal, à publicação.

O antecessor afirmou que Aidar tem de deixar a presidência e acusou ilegitimidade:

“Ele tem de ir embora. Para mim, ele é um presidente ilegítimo porque ele traiu e deu o golpe nos eleitores. Ele disse que estava na presidência por causa do Juvenal Juvêncio e no dia seguinte da eleição quis me ver pelas costas. Eu não fiz absolutamente nada e ele tramava dia e noite contra mim. Qual é a legitimamente de um cara que não sabia onde ficava o portão 7 do Morumbi?”, disse.

 

Fonte: Uol

10 comentários em ““Ele me traiu e deu um golpe”, diz Juvenal sobre Aidar

  1. Victor Moraes disse tudo!!!
    O Aidar está fazendo um ótimo trabalho!!
    O melhor ele já fez, que foi tirar o JJ do SPFC!!
    Esse era um cancer para o Soberano!
    Conseguiu transformar o SPFC em um time mediocre, quase rebaixado !
    Mas Aidar está conseguindo levantar o SPFC!
    E se profissionalizar a diretoria como em uma empresa, aí sim que o SPFC sempre ficará no seu lugar que é lá em cima!!!

    Bóra Tricolor!!

    • Meu caro, existe muitos interesses pessoais envolvidos nessa polêmica. Vide a entrada em cena da atual mulher do CMA, que detém direito de recebimento de comissão de 20% sobre todos os “negócios” envolvendo a instituição, de patrocínio de camisas a venda de diretos federativos de atletas. Procure se informar. Existe uma cortina de fumaça densa que se chama “profissionalização” que tenta encobrir malfeitos (como diria a Sra. Presidente)… Procure se informar para depois concluir… deixo claro que também não simpatizo com o JJ, mas aqui existe muito mais que simples divergência em termos de gestão…

  2. Simplesmente nosso clube de coraca’o deveria ter uma administraca’o
    de empresa multinacional, sempre com resultados avaliados para o
    lado da produtividade, essa coisa de paternalismo ja era,
    e muito menos da politicagem tipo petrobrais.
    jj, esquece, voce colocou um divogado no seu lugar e todos
    conhecemos historias e historias desse povo.
    Vamos ver do que Aidar e’ capaz no final,
    do seu ja’ sabemos.

  3. Triste, acho que JJ e Aidar deveriam parar de lavar roupa suja em público (diga-se mídia) e respeitarem mais a imagem do clube e o exemplo de antigos presidentes, que fizeram do SPFC um exemplo de administração interna. Esses ditos “barracos” em nada contribuem para a grandeza do clube.

  4. Juvenal chega a beirar o ridículo. Se ele ama tanto o SPFC ele não deveria polemizar na imprensa e sim nas reuniões de Conselho. O Aidar parece estar querendo profissionalizar a gestão do SPFC pela primeira vez num clube brasileiro. O SPFC continuará sendo uma sociedade civil sem fins lucrativos, porém, terá gestores com mestas e objetivos, que serão avaliados periodicamente como em qualquer empresa. Torço muito para que o SPFC tenha governança corporativa como prometeu o Aidar, porque o resultado dentro de campo vai ser resultado. Parece que Cotia está tomando rumos melhores. O presidente precisa estar ali como diretor executivo, não como exclusivo comprador de jogadores. Por que sera que o JJ reclama tanto de ter largado o osso? Parou de entrar dinheiro?
    Quem ama o SPFC coloca o clube acima de tudo, não interesses pessoais. O JJ ta com birra de um dirigente velho, obsoleto, AMADOR (porque um advogado criador de cavalo não estudou gestão profissional de clube de futebol, provavelmente nem sabe ligar um computador) que perdeu a máquina que lhe fornecia a vodka nossa de cada dia.

    • Meu caro, existe muitos interesses pessoais envolvidos nessa polêmica. Vida a entrada em cena da atual mulher do CMA, que detém direito de recebimento de comissão de 20% sobre todos os “negócios” envolvendo a instituição, de patrocínio de camisas a venda de diretos federativos de atletas. Procure se informar. Existe uma cortina de fumaça densa que se chama “profissionalização” que tenta encobrir malfeitos (como diria a Sra. Presidente)… Procure se informar para depois concluir… deixo claro que também não simpatizo com o JJ, mas aqui existe muito mais que simples divergência em termos de gestão…

  5. O que soltam na mídia de informação contraditória deixa o torcedor que tenta acompanhar a vida politica do clube bem confuso. Não é uma critica a você Paulo, mas fico sinceramente sem entender direito quem é o bandido e quem é o mocinho nesta estoria toda. Estou começando a pensar que nenhum dos dois vale nada, nem o Juvenal e nem o Aidar, e nesse caso, quem lá vale alguma coisa visto que a maioria apoiou a eleição do atual presidente?

    • Alex, aí é que está a importância na informação. Procuro postar tudo o que sei, o que os sites publicam e que julgo com fundo de verdade. Cabe ao leitor tirar as suas conclusões. Pior seria se nós censurássemos algum tipo de publicação, favorável a este ou contra aquele.

  6. Briga de “cachorro grande”…
    Acredito que os dois podem estar certos. Não vou estranhar se daqui a algum tempo estejam novamente juntos. Isto é politica….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.