Cruzeiro sugere troca ao SP para evitar pagar R$ 5,7 milhões por Hudson

O Cruzeiro está ansioso para assegurar a manutenção de Hudson em 2018. O clube quer acertar a permanência do jogador antes do encerramento do empréstimo, em 31 de dezembro, mas tenta não pagar o valor estipulado em contrato – 1,5 milhão de euros (R$ 5,68 milhões na cotação atual).

A ideia dos mineiros é fazer uma nova troca para garantir o meio-campista em definitivo para a próxima temporada. A sua chegada a Belo Horizonte, vale lembrar, se deu por conta da liberação de Neilton, hoje no Vitória.

A Raposa espera uma reunião com a cúpula paulista para saber quem poderia reforçar o time do Morumbi em 2018. O Cruzeiro aceitaria envolver até algumas peças do atual elenco para assegurar a sequência do atleta de 29 anos. Os nomes para o acordo atual ainda são estudados pelas partes.

O São Paulo está aberto a trocas, mas aguarda uma proposta convincente para deixar que Hudson siga em Belo Horizonte. Valorizado pela conquista da Copa do Brasil 2017, o jogador é um nome que agrada ao presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e à torcida.

Em caso de retorno ao Morumbi, onde tem contrato até dezembro de 2019, Hudson receberia um aumento salarial e teria a duração do compromisso ampliada.

Ciente da necessidade de acerto com o Tricolor, o Cruzeiro já colocou as cartas na mesa para o empresário do atleta. O agente Luciano Couto recebeu um telefonema de Itair Machado, vice de futebol da Raposa, na última semana, e soube do desejo de acerto imediato do clube.

Como o representante de Hudson reside em Madri, os mineiros aguardam uma viagem ao Brasil para realizar uma reunião por sua renovação contratual. A ideia é mostrar o projeto de 2018 ao empresário. Os mineiros sonham com o título da Copa Libertadores e creem que isso, aliado à renovação de Mano Menezes, pode ser determinante para o compromisso.

Logo após assinar o novo vínculo, o treinador cruzeirense solicitou a manutenção de Hudson em definitivo. A ideia é que o jogador, titular de sua formação, assine um compromisso com duração de pelo menos três temporadas na Toca da Raposa II.

 

Fonte: Uol

11 comentários em “Cruzeiro sugere troca ao SP para evitar pagar R$ 5,7 milhões por Hudson

    • Já está liberada. O problema é que você colocou um link e isso gera a necessidade de moderação. Fora isso, todos os comentários são liberados automaticamente, sem qualquer moderação. Além do mais, você deu crédito para um blog quando a matéria é do UOL.

  1. São Paulo negocia antecipação de valores com Lille e direitos de transmissão com a Globo para honrar compromissos de fim de ano.

    O São Paulo se arma para fechar a temporada 2017 com as contas em dias e o caixa em ordem. Como acontece em todo fim de ano em qualquer empresa, os gastos aumentam nos meses de novembro e dezembro por conta de despesas com funcionários e atletas, como o 13º salário e férias. Por isso, o departamento financeiro tenta traçar uma estratégia para para saldar todos os seus débitos sem precisar fazer um empréstimo bancário com juros elevados.

    Por ter superado as expectativas com vendas de jogadores, o clube não precisou pedir R$ 70 milhões a instituições financeiras, como era previsto no início do ano para evitar apertos no fim da temporada, e ainda conseguiu diminuir as dívidas bancárias geradas por empréstimos antigos. Ainda assim, no entanto, ocorreu um descompasso entre os recebíveis e os compromissos financeiros do São Paulo. O valor de algumas negociações, por exemplo, não entrou integralmente nos cofres do clube, o que interfere nas contas.

    No total, em 2017, o clube movimentou aproximadamente R$ 181 milhões com a venda de jogadores. Foram negociados David Neres, Lyanco, Luisão, Galván, Maicon, Luiz Araújo e Thiago Mendes. Parte desse valor foi diluído com empresários, outros clubes que tinham porcentagem ou novas transações – como no caso de Luisão, que foi para o Porto como parte do pagamento de Maicon. Mesmo a parte que cabe ao São Paulo não está necessariamente nos cofres tricolores. Como o valor das negociações às vezes é parcelado, em alguns casos a diretoria só recebeu parte do montante total a que tem direito.

    Justamente por isso, uma das alternativas estudadas é uma tentativa de acordo com o Lille, da França, para antecipar prestações das vendas de Luiz Araújo e Thiago Mendes. O atacante foi negociado por 10,5 milhões de euros (R$ 40,11 milhões), sendo que o São Paulo tinha direito a 8 milhões de euros (R$ 30,56 milhões); o volante saiu por 9 milhões de euros (R$ 34,38 milhões), com cerca de 7,2 milhões de euros (R$ 27,5 milhões) para o Tricolor.

    Outra possibilidade seria acertar com a Globo o pagamento de luvas pelos direitos de transmissão do Brasileirão em TV aberta de 2019 até 2024. O clube havia recebido uma proposta de R$ 20 milhões no ano passado, mas a oferta foi recusada pelo Conselho Deliberativo tricolor. No jogo entre São Paulo e Fluminense, na última semana, no Rio de Janeiro, dirigentes paulistas abriram conversas com representantes da emissora.

    Entrou dinheiro das vendas de 2016 que cairam em 2017, mais as vendas de 2017. Só trouxeram jogadores a custo zero, e mesmo assim o clube tem de antecipar dinheiro da globo?

    Paulo Pontes, poderia confirmar isso?

  2. Vão querer empurrar Neílton, Dedé, Edmar, etc.
    Espero que o nosso “brilhante” diretor de futebol não aceite qualquer tranqueira (com todo respeito) na troca do Hudson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*