Cícero lamenta a reserva no São Paulo e deixa o futuro em aberto

Cícero está chateado. E não fez nenhuma questão de esconder isso após o empate sem gols entre Ponte Preta e São Paulo, neste domingo, no Moisés Lucarelli.

Titular apenas porque o técnico Ney Franco resolveu poupar todos os titulares para a semifinal da Copa Sul-Americana, o camisa 16 começou de segundo atacante, voltou do intervalo jogando na ala esquerda e, nos minutos finais, quebrou um galho até de centroavante.

– Não sei se eu estava bem ou se eu estava mal, mas na época que eu saí do time eu estava bem. Não sei por que saí, essa é a interrogação. É natural sentir o ritmo de jogo quando entro numa partida. São cinco, dez minutos. Fazia quase três meses que não atuava – comentou ele.

Com mais oito meses de contrato com o Tricolor, o jogador definirá o seu futuro em reunião com a diretoria ao fim da temporada. Se a diretoria optar por ficar com ele, a tendência é que peça um prolongamento de contrato, para não ficar sem vínculo no meio do ano que vem, como publicado pelo LANCE!Net no sábado.

– Vou deixar para o meu empresário (Eduardo Uram) resolver, mas tenho contrato com São Paulo. Sempre confiei na minha qualidade, estava provando isso aqui. Jogava de terceiro homem de meio de campo com o Leão. Independente de quem chega, confio no meu potencial. Não sei, não, vamos focar o resto de temporada no São Paulo pra ver o que vai acontecer nesse fim de ano – disse, visivelmente incomodado.

Por fim, questionado se estava chateado com o treinador por conta da falta de espaços, negou:

– Não, chateado não. Cada treinador tem a sua filosofia de trabalho. O time tem jogado bem também com dois abertos e dois homens de referência. Não estou chateado com ninguem, mas é lógico que na época que você sai do time, você se pergunta: “Por quê?”

Fonte: Lance – Foto: Vipcomm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*