CBF decide notificar Iago e aguarda posição de clube da 3ª divisão goiana

Enquanto ainda aguarda o Monte Cristo (clube que disputa a terceira divisão goiana) enviar documentações da transferência que levou Iago Maidana para o São Paulo, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu nesta segunda-feira notificar também o zagueiro de 19 anos, que agora terá de apresentar sua versão dos fatos.

O atleta pertencia até o início de setembro ao Criciúma, com quem rescindiu contrato após pagamento de R$ 800 mil por parte da “Itaquerão Soccer”, uma empresa cuja sede fica ao lado de uma distribuidora de bebidas, na zona leste de São Paulo.

Iago foi registrado, então, no Monte Cristo. Ele ficou vinculado por apenas dois dias no clube goiano, antes de ter 60% de seus direitos econômicos vendidos por R$ 2 milhões ao São Paulo. A FAI Sports, de Porto Alegre, também participou das tratativas.

Para a CBF, que investiga a negociação, já há indícios de burla ao regulamento de registro, que proíbe a participação de terceiros em transferências. A entidade, que agora quer ouvir esclarecimentos de Iago, também questiona o porquê de o São Paulo não ter negociado diretamente com o Criciúma, pagando um valor bem maior do que os R$ 800 mil previstos no contrato que o zagueiro tinha com o clube catarinense.

– O registro em si está correto. Não há nada no regulamento que impeça um jogador de ficar dois dias em um clube antes de ser vendido, mas logicamente vemos indícios de que não houve caráter desportivo (no Monte Cristo). Temos de levantar todos os fatos. Além disso, se a multa é de R$ 1,5 milhão, por que o São Paulo não a pagou diretamente ao Criciúma? O São Paulo tem que se explicar – disse o diretor de registro e transferência da CBF, Reynaldo Buzzoni, na semana passada.

Dos três clubes notificados, apenas Criciúma e São Paulo enviaram suas partes dos contratos. Nesta segunda-feira, a CBF solicitou auxílio da Federação Goiana de Futebol para obter a documentação do Monte Cristo. As informações que faltam são fundamentais, pois o clube goiano foi usado como ponte na transferência.

Quando receber os últimos documentos, a entidade deverá oferecer denúncia ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva. Caso se comprovem irregularidades, os clubes podem ser advertidos, multados ou impedidos de registrar novos atletas por determinado período.

O presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, afirma desconhecer a participação da Itaquerão Soccer. O Criciúma, por sua vez,  se diz vítima no negócio e acusa o clube paulista de aliciamento.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*