Alvaro Pereira admite deixar o São Paulo: “Não fecho portas para ninguém”

O lateral esquerdo uruguaio Alvaro Pereira, 29, admitiu que existe a possibilidade de não jogar no São Paulo em 2015. Após a contratação do concorrente de posição Carlinhos, ex-Fluminense, o amigo de Diego Lugano abre o leque de opções para deixar o Morumbi. Emprestado pela Inter de Milão (ITA) até o fim de junho de 2015, Alvaro Pereira afirma que “não fecha as portas para ninguém”.

Na noite de terça-feira Alvaro Pereira concedeu entrevista à Rádio América, da Argentina. Especulado como possível reforço do River Plate, campeão da Copa Sul-Americana, o jogador – que já jogou no Quilmes e no Argentinos Juniors – admitiu contato de clubes argentinos.

“A única coisa que me informaram foi sobre clubes argentinos, mas não me disseram quais clubes. Estou de férias, com a família. Temos que saber o que o São Paulo está pensando, o que vai acontecer no ano que vem, porque sou jogador da Inter de Milão, então tem que falar com a Inter, se vai vender, emprestar. Não fecho as portas para ninguém, sempre escutamos. Mas tenho contrato com São Paulo, até julho”, afirmou o lateral.

Alvaro Pereira jogou durante quatro anos na Argentina e conquistou admiradores. No Quilmes, primeiro clube no país após deixar o Miramar Misiones, do Uruguai, despontou para o futebol sul-americano. Transferiu-se para o Argentinos Juniors, onde se descobriu como meio campista. Fez ótima temporada no clube, chegou a se destacar também pelos gols marcados.

Outro fato importante é que foi na Argentina que Alvaro conheceu a esposa, com quem hoje mora no Brasil, ao lado dos dois filhos. Durante a entrevista à Rádio América, o jogador citou a proximidade ao país vizinho devido à nacionalidade da mulher.

Sobre o River Plate, especificamente, ele desconversa, mas elogia. “Sinceramente, não sei de nada. Obviamente, estamos falando de um escudo grande da Argentina”. O uruguaio também falou que não vê o futebol argentino tão abaixo do brasileiro. “Eu creio que a Argentina também não está tão longe do Brasil, mostrou com o que conquistou, ganhou Libertadores, Sul-Americana. As equipes ganharam em termos internacionais, creio que o futebol argentino está bem”, completou.

Convocado permanente do técnico Órcar Tabarez à seleção do Uruguai, o lateral esquerdo foi desfalque em alguns jogos do São Paulo durante a temporada. Em outros momentos, cumpriu suspensão. Calendário e arbitragem do futebol brasileiro foram temas de ressalvas mostradas pelo lateral esquerdo.

“Quando fui à seleção perdi cinco partidas. Porque o campeonato não para. Na Copa do Mundo fui à seleção no dia 19 de maio, e o Brasileirão foi até 1º de junho. Eu perdi essas partidas”, falou, antes de comentar sobre a arbitragem.

“Ter a marca de uruguaio acaba com muita fama disso de… de cartões amarelos. Inclusive, acontece isso, fica com fama. Eles [brasileiros] têm um futebol mais não tão brusco,  come três cartões amarelos você está suspenso. Este ano no Brasil houve muita discussão sobre o tema de arbitragem. Se faz uma coisa no futebol local e uma no internacional, como no caso da mão dentro da área. No Brasil muitas vezes é pênalti, e na Sul-Americana não foi assim”, falou o jogador.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.