Aidar antecipa dois anos de cota da Under Armour e aposta em fundo

A situação financeira do São Paulo está longe de ser confortável. Com uma dívida estimada em R$ 272 milhões, o clube sofreu com atraso de pagamento dos direitos de imagem dos atletas há meses atrás. Agora, para deixar a situação menos nebulosa, o presidente Carlos Miguel Aidar foi obrigado a antecipar receitas que só deveriam ser usadas no ano que vem. É o caso, por exemplo, da Under Armour, empresa de fornecimento de material esportivo que assinou com o Tricolor em abril por cinco anos.

Aidar já antecipou a cota que o clube teria direito a receber até dezembro de 2016. Para se ter uma ideia das dificuldades enfrentadas atualmente, só de dívidas bancárias o clube paga R$ 8 milhões por mês (contando prestações e juros). O mandatário tricolor afirmou que não teve alternativa.

– Hoje, posso dizer que a dívida está equacionada. Só que é uma equação muito cara. Estou pagando 180% da taxa Selic de juros por ano. Outros contratos já foram antecipados pela antiga administração. Tive de antecipar dois anos da Under Armour para poder melhorar a situação financeira do clube – afirmou o dirigente.

Mesmo com o quadro complicado, o dirigente mostra otimismo e acredita que, em dois anos, conseguirá acabar com os problemas financeiros do São Paulo.

– Podem escrever e me cobrar: o São Paulo vai fechar 2017 no azul. Em 2015 ainda vamos sofrer bastante, vamos sofrer menos em 2016 e em 2017 tudo se arrumará. Para que isso dê certo, é só não fazer nenhuma besteira e arrumar uma nova dívida.

Uma alternativa que pode melhorar a situação do clube é o FIDC (Fundo de Investimento de Direitos Creditórios). Através dessa modalidade, o clube espera arrecadar até R$ 200 milhões com grandes empresários comprando cotas de investimento, cujo valor mínimo é de R$ 1 milhão. Eles se tornariam donos de parte dos direitos de atletas da base de Cotia e, quando esses atletas fossem negociados, eles recuperariam o valor investido, acrescido de 120% da taxa Selic.

– É um investimento que poderá ser feito não apenas por são-paulinos, já que é bastante atrativo pelo lucro que oferece. Além disso, temos a garantia de que o investidor receberá seu dinheiro de qualquer maneira. Vamos imaginar que o atleta vinculado a determinado negócio não é negociado. Temos a receita das bilheterias e a contribuição social como garantias de pagamento – explicou o presidente.

Para entrar em funcionamento, o fundo precisa ser aprovado pela Comissão de Valores Mobiliários. Ele terá a duração de cinco anos e que só começará a render após um ano e meio. Antes, não é possível retirar o investimento feito.

Fonte: Globo Esporte

11 comentários em “Aidar antecipa dois anos de cota da Under Armour e aposta em fundo

  1. Sei que o Aidar tem polêmicas, mas ao menos está tentando cobrir o rombo deixado por aquele FDP cachaceiro que deveria ter sido expulso do clube na década de 90, ao arruína-lo pela primeira vez. E ainda esse FDP que teve suas regalias cortadas, fica ajudando a mídia safada a detonar o clube ainda contando com o Sr. Abílio, que NUNCA FEZ NADA pelo SPFC, só dar palpites e puxar saco do velho gambá ladrão, detonando o clube pela imprensa gambá!

    Não sou fã do Aidar, mas esse bombardeio da mídia contra a diretoria é orquestrado e por pessoas que estão interessadas no poder.

    Sua favorável à transparência como o Paulo defende, mas acho estranho que na época do LADRÃO cachaceiro ninguém cobrava nada.

  2. Desde a última quarta-feira, a cúpula do São Paulo está no Panamá para uma série de ações com a parceira Copa Airlines, empresa panamenha de aviação. A cerimônia principal, quando a patrocinadora lançará uma aeronave personalizada, será nesta quinta, mas se depender do clube e da empresa, outros tantos encontros deverão acontecer no futuro. Isso porque tanto o Tricolor quanto a Copa estão empolgados com o contrato firmado e já consideram a parceria um “case” de marketing.

    No Panamá, a Copa Airlines comemora os resultados do contrato firmado com o São Paulo para ter sua marca divulgada pelas redes sociais do clube. Segundo a empresa, o sucesso foi tão grande que é provável que a parceria seja estendida. O vínculo entre as partes tem duração de um ano e se encerra em abril do ano que vem.

    – O sucesso foi tão grande que nesses quatro meses conseguimos resultados superiores ao que conquistamos em todo o ano anterior à parceria. Isso falando em todo mundo. Esse potencial se deve à força da marca São Paulo e ao trabalho em conjunto que desenvolvemos, de projeção, fidelização e outras ferramentas de marketing, algo que nunca foi visto no futebol brasileiro – afirmou Emerson Sanglard, gerente de comunicação da empresa panamenha.

    Para celebrar o dia em que a empresa de aviação lançará uma aeronave do São Paulo, as duas partes prepararam uma série de ações. Além da cerimônia no Panamá, a equipe entrará em campo nesta quinta, contra a Chapecoense, no Morumbi, com a marca da Copa Airlines estampada na camisa. Vale lembrar que a exposição no uniforme não está prevista no contrato e é uma cortesia do Tricolor. Os panamenhos, porém, não deixam por menos.

    Também visando celebrar a boa projeção da parceria, a Copa vai anunciar nesta quinta uma promoção especial para os fãs do São Paulo. Quem acompanha o clube nas redes sociais terá direito a 15% de desconto em bilhetes para voar pela companhia, que opera em toda a América Latina. Sócios-torcedores serão ainda mais favorecidos, com desconto de 25% nas passagens. A promoção tem duração de um mês e o São Paulo agora espera usar os resultados da parceria para convencer outros interessados em associar a marca ao clube.

    – Nós damos opções ao cliente, oferecemos aquilo que ele quer. A Copa está muito feliz com nosso trabalho, no futuro trataremos de fazer algo ainda maior e como esse caso é um case, esperamos que outros parceiros se interessem pelo que temos desenvolvido em termos de marketing em mídias sociais – afirmou Douglas Schwartzmann, vice-presidente de comunicação e marketing do São Paulo.

    Por contrato de um ano, o Tricolor recebe cerca de R$ 3 milhões da companhia, mais a possibilidade de expandir sua marca pela América, agora mais ainda com o lançamento de aviões personalizados. A parceria voltada para mídias sociais é uma forma de o clube compensar a falta de um patrocinador master, ausente desde o término do contrato com a Semp Toshiba, em meados do ano passado.

    Fonte: Lance

    Compartilhe:

    Email
    Navegação de artigos← Na busca pelo gol 3.000, Tricolor quer barrar oscilação contra a ChapeSão Paulo enfrenta a Chape para bater marca histórica no Morumbi →
    2 comentários em “São Paulo quer usar ‘case’ com a Copa Airlines para atrair novos parceiros”

    Alexandre Silva disse:
    17 de setembro de 2015 às 11:03
    Sei que o.Aidar tem polêmicas, mas ao menos está tentando cobrir o rombo deixado por aquele FDP cachaceiro que deveria ter sido expulso do clube na década de 90, ao arruína-lo pela primeira vez. E ainda esse FDP que teve suas regalias cortadas, fica ajudando a mídia safada a detonar o clube ainda contando com o Sr. Abílio, que NUNCA FEZ NADA pelo SPFC, só dar palpites e puxar saco do velho gambá ladrão, detonando o clube pela imprensa gambá!

    Não sou fã do Aidar, mas esse bombardeio da mídia contra a diretoria é orquestrado e por pessoas que estão interessadas no poder.

    Sua favorável à transparência como o Paulo defende, mas acho estranho que na época do LADRÃO cachaceiro ninguém cobrava nada.

  3. Alguém no juízo perfeito colocaria 1 milhão de reais num negócio onde a garantia é a venda de jogadores?
    Acho muito difícil para não dizer impossível.

  4. Podem esquecer esse fundo, não tem credibilidade para isso. Não temos planejamento e muito menos ação para fazer as coisas acontecerem, é só papo furado.

  5. O São Paulo está em 8º na lista dos 10 maiores clubes devedores… porque a imprensa dá tanto destaque negativo ao São Paulo e não fala do Curinthians que está em 7º? do Atletico Mineiro? do Flamengo???

    Não está certo o clube dever, muito menos essa total tirania e ingerência que ocorre na diretoria… mas não é de hoje que vejo muita manobra na imprensa sempre tentando desestabilizar ainda mais o ambiente no Tricolor.

    Diretoria fraca… politica fraca!

  6. Interessante: Um dia o presidente prega a separação da parte social do clube do futebol. No outro oferece a contribuição social para garantir investimento no futebol.

    • O coitado não sabe mais o que fala. Ele fala o que vem na cabeça, na hora, e depois tem que ficar se justificando, quase sempre jogando a culpa nos outros.

  7. Eu não invisto R$ 1 na administração Aidar, sinto muito.
    Pago o ST e sei que é a fundo perdido.

    Depois de uma senhora auditoria talvez mude de opinião.

    Quem vai investir dinheiro nesta caixa preta que se tornou o SPFC?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*