Agora fora de campo, Raí busca vencer 3ª final contra o Corinthians

Raí não estará em campo nas partidas que decidirão o Campeonato Paulista de 2019, mas ainda assim pode superar o Corinthians pela terceira vez em uma final. Atual diretor de futebol do São Paulo, ele foi o grande responsável pelos títulos estaduais de 1991 e 1998.

O de 1998, aliás, foi o último título que o Tricolor conquistou em cima do rival. E Raí foi o símbolo daquela conquista mesmo tendo participado de apenas uma partida da campanha – justamente a grande final (o regulamento permitia).

O ídolo ainda era jogador do Paris Saint-Germain (FRA) quando o Corinthians venceu o jogo de ida por 2 a 1, no Morumbi, e abriu vantagem na decisão. Ele desembarcou em São Paulo na quarta-feira, dia 6 de abril, foi apresentado na quinta, dia 7, e foi escalado como titular por Nelsinho Baptista no domingo, dia 10. Vestindo a camisa 23, abriu o placar com um gol de cabeça e fez ótima dupla com França, autor dos outros dois. Resultado: 3 a 1 para o Tricolor e festa no Morumbi.

– Em 1998 foi uma situação bem atípica. Cheguei para o último jogo. O Corinthians tinha vencido o primeiro jogo, então era o favorito. O São Paulo agora vem de uma recuperação. O Corinthians, apesar da classificação difícil contra o Santos, está jogando há mais tempo, tem um treinador que conhece o elenco. O São Paulo tem a sua chance, mas sabe que vai ter muita dificuldade, como teve naquele momento. Espero que surpreenda novamente – disse o dirigente, nesta quarta, ao ser questionado sobre aquela decisão.

Em 1991, perto do auge de sua carreira, Raí destruiu o Corinthians no jogo de ida da final: marcou os três gols da vitória são-paulina por 3 a 0 e garantiu o título, já que o jogo de volta terminou 0 a 0.

Raí também estava presente na semifinal do Paulistão de 2000: o São Paulo venceu as duas partidas no Morumbi, primeiro por 2 a 1 e depois por 2 a 0, e se classificou para enfrentar – e vencer – o Santos na final. O ídolo não marcou gols naquele que foi o último mata-mata entre os rivais com vitória do Tricolor. Depois disso, o Corinthians venceu os oito confrontos eliminatórios por competições oficiais (o São Paulo conquistou a Florida Cup de 2017).

Como jogador, Raí marcou nove gols em 22 Majestosos.

As más lembranças

A trajetória de Raí em Majestosos não é feita só de alegrias. Em 1999, por exemplo, ele participou de duas eliminações em semifinais. No Paulista, o Corinthians venceu a partida de ida por 4 a 0 e classificou-se após o empate por 1 a 1 na volta. No Brasileiro, embora tenha feito um gol na derrota por 3 a 2 do jogo de ida, Raí ficou marcado por desperdiçar dois pênaltis diante de Dida. Na volta, os alvinegros confirmaram a vaga na final vencendo novamente: 2 a 1.

O outro mata-mata frustrado de Raí contra o rival foi a final do Brasileirão de 1990. O Corinthians foi campeão após vencer as duas partidas por 1 a 0.

 

Fonte: Lance

2 comentários em “Agora fora de campo, Raí busca vencer 3ª final contra o Corinthians

  1. Esse jogo de 1998 foi incrível. O Raí realmente aterrorizou as galinhas. Poucas vezes vi um atleta fazer tanta diferença.

    O time que perdeu o primeiro jogo sem demonstrar poder de reação, dominou completamente o adversário no segundo jogo. Foi um passeio.

    Lembro do Luxemburgo antes do jogo falando que seria normal e depois do jogo dizendo que sabia que faria muita diferença, mas não poderia ter dito para não perturbar seus atletas…

  2. O saudade !
    Estive no Morumba nos dois jogos, o de 1991 inspirou o canto “Raí, Raí o terror do Morumbi”.
    Em 98 desceu no aeroporto, calçou as chuteiras no taxi, eentrou em campo e detonou os galinhas!
    Chegou a hora ! Pra cima deles Sub 20 !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.