Acabou o descanso: Ceni mescla São Paulo pela última vez contra Linense

Rogério Ceni escalou 29 jogadores até aqui no Campeonato Paulista. Mesclou, experimentou, poupou, planejou escalações para duas ou três partidas em sequência. Contra o Linense, neste sábado, no Morumbi, isso deve acontecer pela última vez nas próximas semanas.

A equipe titular certamente será bastante diferente da que empatou sem gols com o Defensa y Justicia, na estreia da Copa Sul-Americana, na última quarta-feira. Ceni deverá escalar a maioria de atletas que nem viajaram para a Argentina ou ficaram no banco. Casos de Renan Ribeiro, Maicon, Junior Tavares, Thiago Mendes, Cícero, Luiz Araújo e Gilberto, por exemplo.

A meta não é apenas conseguir a classificação para a semifinal do Campeonato Paulista. Por ter vencido o Linense no último domingo, também no Morumbi, o Tricolor pode até perder por um gol de diferença, e ainda assim avançará. Mas Ceni quer a vitória, já que o acúmulo de pontos serve para definir adversários e ordem do mando de campo nas próximas fases – semifinais e final.

Se conseguir a vaga, o técnico terá jogos consecutivos a partir do dia 13 de abril. E nada de poupados. Os melhores serão escalados. Por que a mudança?

Pela junção de duas razões óbvias: importância dos confrontos e alto nível dos adversários. Nos dias 13 e 19, o São Paulo enfrentará o Cruzeiro, pela quarta fase da Copa do Brasil (primeiro no Morumbi, depois no Mineirão). Nos dois finais de semana seguintes a esses jogos, serão disputadas as semifinais do Paulistão.

Pelo menos nos próximos sete dias, Rogério não terá a volta de nenhum dos machucados. O maior desfalque é o peruano Cueva, mais talentoso jogador da equipe. Além dele, estão no departamento médico o lateral-esquerdo Edimar, que ainda nem estreou, e outros três que não podem mais jogar no estadual, mas serão aproveitados na Copa do Brasil e na Sul-Americana: o goleiro Sidão, o lateral-direito Bruno e o meia Lucas Fernandes.

Na manhã desta sexta-feira, Rogério Ceni vai definir, no único treino para o jogo de sábado, a escalação para tentar a vitória e a vaga. A atividade não terá a presença dos jornalistas.

Veja mais informações sobre o jogo do São Paulo contra o Linense:

Local: Morumbi, em São Paulo
Data e horário: sábado, às 16h
Escalação provável: Renan Ribeiro, Buffarini, Maicon, Lugano e Junior Tavares; João Schmidt, Thiago Mendes e Cícero; Neilton (Wesley), Luiz Araújo e Gilberto
Desfalques: Sidão (lombalgia), Bruno (entorse no tornozelo direito), Cueva, Lucas Fernandes e Edimar (estiramento na coxa esquerda)
Ingressos: clique aqui para ver valores e como comprar
Arbitragem: Luiz Flávio de Oliveira, auxiliado por Alberto Poletto Masseira e Miguel Cataneo Ribeiro
Transmissão: Premiere, Premiere HD e PFCi (com Odinei Ribeiro e Wagner Vilaron)

Fonte: Globo Esporte

6 comentários em “Acabou o descanso: Ceni mescla São Paulo pela última vez contra Linense

  1. Paulo RP, os auxiliares não dão palpite porque o R.C não aceita, como jogador ele cometeu varias falhas e nunca aceitou que tenha falhado, vai aceitar palpite agora que é o chefe.

  2. Já estamos quase classificados, temos um jogo importante e dificil contra o cruzeiro e depois a primeira partida da semi no paulistão.

    Vai colocar o luiz araujo e arriscar perder ele? O bufarini é bom jogador tbm, não sei porque implicam com ele.

    E com o lento do “lugano” eu acho que a defesa nos jogos que ele jogou foi bem. Não entregou gols como o maicon e outros. A experiência tambem tem seu valor.

  3. Nem Lugano: por que não dar continuidade ao Lucão que fez um grande trabalho na Argentina e, com confiança, tende a crescer.
    Acho que o RCeni está precisando de auxiliares que lhe chamem a atenção pra esses tipos de detalhes que parecem passar despercebido por ele, tipo a não substituição do Buffa no último jogo.
    Conforme já comentei em outra oportunidade, o Pintado e os estrangeiros parecem estar ali só para ajudarem a distribuir as camisas do treino e dar água aos jogadores durante as partidas. Estão me lembrando o Tata, fiel escudeiro do Murici Ramalho, que só servia para isso e “escutar” os arroubos de seu companheiro. O Rogério, principalmente por ser iniciante, precisa de alguém que o chame à razão nessas necessidades. A própria diretoria poderia pensar nisto…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*