Um domingo perfeito

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, o domingo, dia 18 de novembro de 2013, vai ficar marcado como um dia perfeito: o São Paulo ganhou do Náutico, teve a estreia de Paulo Henrique Ganso, quebrou recorde de público do ano, com mais de 62 mil pagantes, e garantiu sua classificação para a Libertadores da América de 2013. Sensacional.

Vamos por partes. Primeiro quero falar do jogo. Um primeiro tempo morno, com domínio do São Paulo, mas faltando o chute a gol. Muita jogadinha de lado, muitas tentativas de entrada pelo meio, muito congestionado, e nada de objetividade.

No segundo tempo um susto: o Náutico faz 1 a 0, em belíssima cobrança de falta de Souza, e joga uma ducha de água fria no Morumbi. Joga mesmo? Não. A torcida cresceu ainda mais e passou a empurrar o time para cima do Náutico. E bastou Paulo Henrique Ganso ser chamado para entrar para as coisas começarem a mudar. Antes mesmo que ele entrasse Osvaldo faz bela jogada e cruza para Luis Fabiano marcar o gol de empate.

Depois Ganso entra em campo. E o toque de bola fica refinado. Ganso dá um toque só na bola. Quando muito dois. E vai distribuindo o jogo. Até que Lucas faz uma de suas tantas jogadas sensacionais, entrega para Luis Fabiano, que sofre pênalti. O M1TO vai lá, bate e marca o gol de número 107 de sua gloriosa carreira.

O São Paulo está na frente. E passa a administrar o jogo, com domínio total da bola. Não corre um risco sequer e ainda perde alguns gols.

Agora quero falar de Ganso. Percebe-se nitidamente que está com preparo físico longe do ideal e sem ritmo de jogo. Mas com tudo isso ele ainda é capaz de lançamentos precisos e se apresenta para o jogo. Está sempre perto da bola e faz com que ela role de forma macia e clássica. Nos dará muitas alegrias, tenho certeza.

Também tenho que falar do público. A torcida do São Paulo realmente é genial. Nem o campeão da Libertadores, nem o campeão Brasileiro, nem o campeão de qualquer torneio regional, nem o campeão da Copa do Brasil, ninguém conseguiu colocar 62 mil pessoas no estádio este ano. E o São Paulo o fez, como disse Rogério Ceni, não tanto pela estreia de Ganso, ou por Lucas, ou por Luis Fabiano, ou por ele mesmo, o M1TO, mas pelo amor que tem pelas três cores sagradas do nosso manto. E mostrou que, apesar dos absurdos consecutivos feitos por esta diretoria medíocre, ela ama o São Paulo acima de todas as coisas.

Agora a Libertadores. Estamos classificados. Talvez esta vaga venha com mais sabor ainda, com um título na Sul-Americana. Mas não importa. O saldo é altamente positivo, depois do primeiro semestre deprimente que tivemos este ano. Acabamos no lucro e esperamos menos besteiras dos caudilhos tricolores para sofrermos menos em 2013.

2 comentários em “Um domingo perfeito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*