Última vitória são-paulina longe do Morumbi foi em outubro

Incipiente em 2014, o jejum do São Paulo como visitante – que pode terminar nesta quinta-feira, diante do São Bernardo – não é tão pequeno assim se levada em conta também a reta final da temporada passada. A última vitória do time treinado por Muricy longe do Morumbi data de 27 de outubro, ocasião em que bateu o Internacional por 3 a 2, de virada, no Campeonato Brasileiro.

De lá para cá, a equipe ainda disputou outras três partidas fora de casa pela competição nacional. E, livre do risco de rebaixamento, caiu para Atlético-PR (3 a 0, na Vila Capanema), Fluminense (2 a 1, no Maracanã) e Criciúma (1 a 0, no Heriberto Hulse).

Virado o ano, o desempenho não melhorou no Campeonato Paulista. Mesmo com algumas mudanças na formação, o São Paulo foi superado por Bragantino (2 a 0, no Nabi Abi Chedid), Palmeiras (2 a 0, no Pacaembu) e Ponte Preta (2 a 1, no Moisés Lucarelli). Uma campanha oposta à que faz em casa, com três triunfos (sobre Mogi Mirim, Oeste e Rio Claro) e um empate (com a Portuguesa).

Rubens Chiri/www.saopaulofc.net

Time de Muricy Ramalho não vence desde que bateu o Internacional por 3 a 2, de virada, em 27 de outubro

Para o lateral esquerdo Álvaro Pereira, uruguaio contratado no início da temporada, falta mais atenção fora de casa. “Tem que estar atento 90, 95 minutos. Tem que ser mais contundente, sabemos disso, e concluir melhor as finalizações. Em alguns jogos que não vencemos, jogamos bem, mas não fomos consistentes e depois sofremos gols em contra-ataques ou bolas paradas”, opinou o recém-chegado.

 

Por seu modo de pensar, a maior parcela de culpa seria dos atletas, e não de Muricy Ramalho. Até porque, questionado se o modo de trabalho do comandante no dia a dia lhe agrada, o jogador de 28 anos, com passagem pela Argentina e pelo futebol europeu – está emprestado pela Inter de Milão -, foi elogioso ao atual comandante.

“Sim. O professor tem muita experiência, não? Não venceu (no futebol) porque venceu. Venceu porque trabalhou muito para isso. Como jogador, tenho que respeitar e ser fiel à ideia dele, ao que ele pede, porque ele é o capitão desta barca. Ele tem boas ideias, e creio que todo o time está tratando de fazer o que ele pede. Temos que seguir trabalhando e melhorando”, disse.

A nova chance de provar algum tipo de melhora fora do Morumbi será às 21 horas (de Brasília) desta quinta-feira, no Estádio 1º de Maio, frente ao São Bernardo. Um novo tropeço ameaçaria a segunda colocação do grupo A da competição estadual às vésperas do duelo contra o Santos. O jejum em clássicos, a propósito, também é grande. São 11 sem vencer.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*