Trabalho vitorioso no sub-20 aproxima André Jardine do time profissional

As grandes campanhas protagonizadas pelas equipes comandadas por André Jardine podem trazer bons frutos ao técnico do sub-20 do São Paulo. Extremamente vitorioso nas categorias de base, o treinador de 38 anos se prepara para comandar seus atletas na Copa Libertadores da categoria e, dependendo do resultado que obtiver no Uruguai, onde será realizado o torneio, tem a possibilidade de ser promovido ao profissional para atuar como auxiliar de Dorival Jr.

Nesta quinta-feira, o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, aproveitou a proximidade da sede da Federação Paulista de Futebol, onde participou de um evento, com o CT do São Paulo para acompanhar parte do treinamento da equipe e, antes de deixar as instalações tricolores, respondeu alguns questionamentos envolvendo André Jardine. Bastante satisfeito com o trabalho do treinador nas categorias de base, o mandatário não descartou oferecer a tão sonhada promoção.

Embora o Tricolor figure na liderança do Grupo B do Campeonato Paulista, com dez pontos, a situação da equipe não é das melhores. A Ponte Preta, segunda colocada, pode voltar a dividir a ponta da tabela com o time de Dorival Jr, já que possui um jogo a menos – entra em campo no sábado, contra o Novorizontino. Nem mesmo o fato de o time ter conquistado a terceira vitória consecutiva na temporada ilude os torcedores, não contentes com o desempenho mostrado ao longo das primeiras partidas de 2018.

“Estamos alternando bons e maus momentos. No sábado, jogamos mal o primeiro tempo e bem o segundo. Ontem, fomos bem no primeiro tempo e mal no segundo. Há um sinal de trabalho, de evolução, mas ainda com certa instabilidade, que pretendemos ver superada com o desenvolvimento do trabalho. Vai melhorar”, disse Leco durante em evento na Federação Paulista de Futebol.

O longo jejum de títulos do São Paulo somado às atuações fracas da equipe que agora conta com nomes tarimbados, como Nenê e Diego Souza, faz com que a pressão sobre os ombros de Dorival Jr aumente ainda mais. Como se não bastasse, sua “sombra” ostenta um currículo extremamente vitorioso no sub-20. Justamente por isso não seria surpresa o clube evitar buscar no mercado um novo treinador, caso demita seu atual técnico.

No São Paulo desde 2015, André Jardine acumula em sua extensa lista de conquistas na carreira sete títulos à frente do Tricolor, todos com a equipe sub-20: Copa Ouro, bicampeonato da Copa do Brasil, a última de maneira invicta, duas Copas RS, Libertadores da América e Campeonato Paulista. Em 2016, chegou a comandar o time profissional em duas oportunidades, contra o Santa Cruz e Botafogo, ambas válidas pelo Brasileirão, após Edgardo Bauza aceitar treinar a seleção argentina. Já neste ano amargou o vice-campeonato da Copa São Paulo de Futebol Júnior, perdendo a decisão para o Flamengo, por 1 a 0.

8 comentários em “Trabalho vitorioso no sub-20 aproxima André Jardine do time profissional

  1. É nítido que o Dormeval não se sente confortável com a presença de Raí, Ricardo Rocha e Lugano para cobrá-lo e ajudá-lo, tanto é que fez questão de demitir o Pintado, não estou questionando o caráter e boa índole do Dormeval, mas para ser treinador do São Paulo não serve, isso ficará evidente quando formos eliminados do paulista nas semifinais para as galinhas ou peppas (espero queimar a língua), mais nesses 8 meses de trabalho não vi nenhuma evolução tática, enfim como já citado agora é a hora de Jardine, essa conversa de rodagem fica derrubada com os exemplos de Jair Ventura, Carrile e Zé Ricardo, o jogador profissional sabe quando o técnico entende do assunto e tendem a se ajudarem, agora o Dormeval tem tempo e fica treinando Handebol, dá 4 dias de folga, é um entregador de colete e nada mais.

  2. Também acho que o Jardine poderia começar como auxiliar técnico do S.Paulo ou em um time de série A de menor expressão no mercado do futebol.
    Entretanto, discordo dele vir a ser o auxiliar técnico do Dorival Jr, por “N” razões. Entre elas:
    O Dorival parece ser uma ótima pessoa, mas, em teoria e implantação de esquemas táticos, o Jardine já é bem superior a ele e, nesta seara, não teria nada a aprender; pelo contrário.
    Ademais, o DJ trabalha com um auxiliar técnico fixo que, ninguém pode ignorar, caso não fosse filho dele, certamente não estaria na profissão nos times por onde passou. Isto poderá causar uma “saia justíssima” que não seria bom pra ninguém.
    Assim, melhor seria o tricolor programar uma promoção dele, Jardine, aos poucos, com outro tipo de treinador que estivesse chegando, ou “emprestá-lo” no mercado (quem sabe conseguindo uma vaga de auxiliar de algum treinador europeu por algum tempo) para só depois efetivá-lo como nosso treinador.
    É como penso…

    • Paulo RP, eu acho que o Rai, Lugano e Ricardo Rocha, deviam colocar na cabeça do Leco, para o São Paulo disputar a 2º divisão com a molecada e o Jardine como tecnico para adquirir rodagem, assim que for necessario os meninos estarão prontos.
      É só lembrar do Expressinho que foi campeão da Commembol.

  3. Comandar atletas profissionais é bem diferente do quê o fazer com amadores portanto é fundamental um estágio como auxiliar técnico no elenco dos profissionais, para pegar as manhas.

  4. Os exemplos são Jair Ventura, Zé Ricardo e Carille… Penso que o André Jardine já esteja preparado para encarar esse desafio no Tricolor!!! Pior que o DJ certamente ele não será!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*