São Paulo inicia projeto para comprar Pato do Corinthians em 2016

Um dia após ter certeza de que não perderá Alexandre Pato na janela europeia de transferências, o São Paulo começa a colocar em prática nesta terça-feira (1) o plano para contratar definitivamente o atacante do Corinthians em janeiro de 2016, após o fim do contrato de empréstimo. A estratégia é reunir recursos por meio de um empréstimo com um eventual parceiro para pagar o rival e reverter mensalmente entre 15% e 20% da receita do programa sócio-torcedor para o pagamento dos salários do atacante, que hoje recebe R$ 800 mil mensais – metade de cada clube.

Pato tem contrato até 31 de dezembro de 2016 com o Corinthians e poderá assinar um pré-contrato com qualquer outro clube a partir do dia 30 de junho de 2016. Isso faria com que o Corinthians o perdesse de graça, sem receber indenização, ao término do vínculo. Por isso, o São Paulo acredita que em janeiro de 2016 o valor de mercado de Pato será mais baixo que o atual. O clube do Morumbi baseia a teoria, também, no valor da única proposta recebida pelo Corinthians na janela de transferências que se encerrou nessa segunda-feira (31): o Galatasaray, da Turquia, apresentou a solitária oferta de 5 milhões de euros (R$ 20,4 milhões), recusada pelo Corinthians – a cláusula rescisória do contrato de empréstimo é o dobro do valor. O Corinthians detém 60% dos direitos econômicos do jogador, que é dono dos outros 40%.

O plano de comprar os direitos econômicos de Pato foi traçado no fim do primeiro semestre pela diretoria são-paulina. A ideia do presidente Carlos Miguel Aidar era colocá-lo em prática a partir do início de setembro, após a janela europeia de transferências.

O São Paulo já pediu empréstimo para a contratação do argentino Ricardo Centurión, no início do ano. Foi o hoje diretor de marketing Vinicius Pinotti quem emprestou R$ 13 milhões para realizar a operação. O método é o mesmo que seria adotado no fim de julho para contratar o zagueiro Dória, do Olympique de Marselha. O departamento de futebol do São Paulo chegou a fechar acordo de 6 milhões de euros (R$ 20,9 milhões, na ocasião), mas viu a diretoria barrar o negócio devido aos problemas financeiros. O clube passa por momento delicado, chegou a dever quatro meses de direitos de imagem ao elenco, opera com largo déficit mensal e já antecipou parte dos recebíveis do contrato com a Under Armour.

Se a matemática do São Paulo der certo, o clube conseguirá prometer salário de R$ 700 mil a Pato em 2016 – R$ 100 mil a menos do que ele recebe hoje. A ideia da diretoria é pagar R$ 350 mil ao atleta, valor que será adotado como teto salarial a partir da próxima temporada, e reverterá outros R$ 350 mil mensais oriundos do programa sócio-torcedor a Pato. O clube recebe atualmente R$ 1,3 milhão por mês do sócio-torcedor, com 74 mil associados, e projeta que até o fim do ano chegará a 100 mil associados e R$ 2 milhões mensais de receita. Se chegar ao nível esperado, precisará prometer para Pato 17,5% da receita mensal do programa para obter mais R$ 350 mil.

Faz parte da ideia, também, transformar Pato no garoto-propaganda do sócio-torcedor. Assim, a campanha de manutenção do atacante no São Paulo seria lançada com o objetivo de angariar mais associados ao programa em 2016.

O São Paulo ainda passará a incluir a partir de agora nas apresentações de venda de espaço de publicidade para empresas a possibilidade de comprar propriedade exclusiva do projeto de manutenção de Pato. A ideia é reduzir ainda mais a participação do clube na remuneração do jogador e reverter a receita do acordo ao salário do atacante. Foi essa a estratégia ao contratar Luis Fabiano, em março de 2011. No início do acordo, o camisa 9 recebia R$ 350 mil mensais do clube e outros R$ 200 mil de patrocinadores. Hoje, no entanto, sem patrocinadores, o São Paulo paga o salário integral.

Não há alternativa para o São Paulo se o clube não conseguir acordo pela participação de parceiros no investimento para romper o contrato de Pato com o Corinthians. Também, não há a possibilidade de o clube arcar com o salário integral do jogador no patamar atual.

Pato vive atualmente aquela que considera sua melhor temporada da carreira. Com 21 gols marcados em 41 jogos, ele superou a própria marca pessoal e tem recebido constantes elogios do técnico Juan Carlos Osorio. O atacante não esconde que pretende voltar à Europa, mas também já afirmou que gostaria de se tornar ídolo do São Paulo.

2 comentários em “São Paulo inicia projeto para comprar Pato do Corinthians em 2016

  1. Bom jogador, acima da media atual brasileira, assim como o Ganso, porém os cara têm que querer mais, técnica eles têm só que precisar ser mais vibrante, brigar mais, gosto do Pato, mas precisa fazer um grande jogo contra um time de maior expressão em num jogo decisivo, coisa que ainda não vi ele fazer, capacidade técnica ele tem, porém precisa querer mais.

  2. É muito dinheiro ,apesar de bom jogador 700 mil ,isso só comprova a total irresponsabilidade financeira q estão tendo para com o clube.
    SP precisa de profissionais de verdade para sua gestão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*