São Paulo sofre com mudança de esquemas táticos e incertezas de Leão

O ataque o São Paulo é o melhor paulista do Campeonato Brasileiro e único que não optou por priorizar apenas uma competição. Mas apesar do 50% de aproveitamento, o time ainda não conseguiu apresentar um futebol convincente. Após a vitória contra o Santos, Émerson Leão repetiu o discurso dado após o êxito contra o Bahia, na segunda rodada, e afirmou que o importante foram os três pontos.

Não foi só o discurso do treinador que foi o mesmo. A tática de iniciar a partida com um esquema e alterá-lo já no intervalo também foi repetida. Contra o Bahia, ele iniciou com três homens no meio e na volta para o segundo tempo trocou Rafinha por Fernandinho e Maicon por Osvaldo, alterando a formação para 4-4-3.
Contra o Santos e Internacional, aconteceu o contrário. Primeiro, um time com três homens de frente e na volta do intervalo, quatro meio-campistas.

Apesar da vitória no domingo, o volante Denilson revelou uma conversa com o treinador nos vestiários. “Ele disse que a gente estava correndo errado, sobrando gente no meio, mas depois acertou a equipe e pudemos sair com a vitória”.

A declaração do camisa 15 mostra que nem mesmo Émerson Leão tem definido em sua cabeça qual o melhor esquema para o atual elenco. Além dos testados no Brasileiro, contra o Goiás pela Copa do Brasil, ele escalou o time com três zagueiros.

Durante a folga de 10 dias que o Tricolor teve no calendário, o meio-campista Jadson comemorou o tempo livre e disse que a brecha serviria, principalmente, para treinar todas as formações possíveis. Na época, Paulo Miranda, também rechaçou a possibilidade do São Paulo ser um time desorganizado pelas diversas alterações táticas.

Além das incertezas no esquema da equipe, Leão possui ainda dúvidas em duas posições. Teoricamente, Casemiro e Jadson são os escolhidos. Porém, o camisa 10 só agora vem encontrando o seu futebol e Casemiro alterna entre boas e más atuações, e, quase sempre é o escolhido para ser sacado quando Leão quer uma formação mais ofensiva.

Somado a isso, Leão, sempre que perguntado, responde que Fernandinho não é reserva e sim uma espécie de 12º jogador que entra para decidir a partida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*