São Paulo inicia retiro em Cotia para enterrar de vez mau ambiente de 2013

O São Paulo pouco mudou o elenco após uma das piores temporadas de sua história – só Luis Ricardo chegou –, mas os jogadores já ouviram de Muricy Ramalho o que precisa ser alterado. Ter um bom ambiente é visto como fundamental para um ano melhor. Desta segunda-feira até o jogo contra o Bragantino, no domingo, os atletas ficarão concentrados em Cotia e terão ótima chance para fortalecer o que atrapalhou o time, especialmente no primeiro semestre de 2013.

Discussões de todos os tipos foram vistas no clube: entre jogadores, entre jogador e treinador, treinador e diretoria e diretoria e jogadores. O reflexo disso foi visto em campo e o Tricolor brigou contra a degola no Campeonato Brasileiro.

A situação só começou a melhorar no segundo semestre, quando Paulo Autuori chegou. Muito criticado e questionado pela falta de resultados, o ex-treinador é exaltado por muita gente dentro do CT.

Autuori é adepto de conversas individuais e prega coerência e respeito no trabalho. Tanto que vários jogadores foram atrás de seu número de telefone e ligaram pedindo desculpas pelo rendimento abaixo da média. Aloísio, por exemplo, recusou uma proposta da China no meio do ano justamente por ter percebido uma melhora no dia a dia. Em dezembro, deixou-se seduzir pela oferta do Shandong Luneng.

Pouco após a chegada de Autuori, o diretor de futebol Adalberto Baptista, que teve desentendimento público com Rogério Ceni, foi demitido. Na sequência, Lúcio foi afastado e a alegação era de que a atitude foi em prol da saúde do vestiário.

Com Muricy Ramalho, a torcida abraçou o time, os resultados apareceram e o ambiente não foi problema durante a reação que livrou o clube do vexame. A missão é manter isso.

Na primeira semana de pré-temporada, quem passou pela sala de imprensa fez um apelo para que não falte compromisso em 2014. Rodrigo Caio pediu união e Maicon condenou “biquinhos” de quem não joga. Ao menos o discurso está pronto.

CONFUSÕES NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013

Jogador x diretoria
Depois de Rogério Ceni dizer que o clube havia parado no tempo, Adalberto Baptista criticou o goleiro por erros em reposição e por jogar lesionado. Ceni disse que estava 100%, lembrou gol de falta e a ausência do diretor em jogo decisivo da Libertadores na Bolívia. Adalberto estava na Europa e participou de provas de corrida da Porsche Cup.

Treinador x diretoria
Depois da vitória por 2 a 1 sobre o The Strongest (BOL), no Morumbi, o vice-presidente João Paulo de Jesus Lopes classificou a atuação do time como vergonhosa. Ney Franco rebateu minutos depois e disse que se sentia no direito de também criticar a diretoria.

Jogador x jogador
No intervalo do jogo com o Goiás, no Morumbi, Luis Fabiano e Douglas tiveram discussão acima do normal dentro do vestiário. Por precaução, alguns jogadores tiveram de intervir.

Jogador x técnico
Ney Franco e Rogério se estranharam pela primeira vez ainda em 2012, quando o treinador fez uma alteração que não agradou ao goleiro. Quando Ney foi demitido, um criticou o outro fortemente pela imprensa. O técnico também teve problemas de relacionamento com o volante Fabrício, que foi afastado na sequência. Lúcio também teve problemas com Ney e depois, novamente, com Autuori.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*