São Paulo deve renovar contrato de Wellington no começo de janeiro

Ao mesmo tempo em que negocia para contratar novos reforços para seu elenco de olho na próxima temporada, o São Paulo não esquece seus atuais atletas e corre para renovar o contrato de um dos principais jogadores do clube na reta final de 2012: o volante Wellington.

O vínculo do volante vai até 2015. Mas frequentemente ele é assediado por clubes europeus. Por isso, a ideia do São Paulo é prolongar o vínculo até 2017, aumentar a multa rescisória e dar um aumento salarial ao jogador. As conversas estão bastante adiantadas e os detalhes finais estão sendo discutidos. Wellington deverá assinar o novo vínculo ainda na primeira semana de 2013.

As negociações entre as partes evoluíram nos últimos dias antes das férias. Até por isso, aliás, a renovação não foi sacramentada até agora. Wellington entrou em um período de férias e viajou acompanhado de sua esposa. Deixou avisado, porém, que não haverá dificuldade para o prolongamento de seu vínculo.

Assim que as atividades no São Paulo forem retomadas, no dia 3 de janeiro, a diretoria deverá se reunir com o volante para discutir os detalhes finais e assinar o novo contrato. Desta maneira, o clube se resguardará de possíveis novas investidas dos europeus na janela de transferência do meio do ano que vem.

Wellington é torcedor assumido do clube e foi criado nas categorias de base do São Paulo. Neste ano, ficou praticamente seis meses afastado dos gramados após sofrer uma séria lesão no joelho esquerdo, o qual operou em fevereiro. A força de vontade do garoto em se recuperar rapidamente impressionaram comissão técnica e dirigentes, que o veem com potencial para ser um futuro ídolo para a torcida, com a qual já tem grande identificação.

Em uma futura venda de Wellington para o exterior, o São Paulo só terá direito a receber 45% do valor envolvido. Isso porque 30% irá para o Shakhtar Donetsk (UCR), em acordo que foi firmado na compra do meia Jadson, em janeiro deste ano. Outros 25% serão repassados para o Atlético de Madrid (ESP), em negócio semelhante feito com o clube quando os paulistas compraram Cleber Santana, em 2010.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*