Reservas não decepcionam, mas poupam Muricy de dor de cabeça

O São Paulo entrou em campo no último domingo para enfrentar o Fluminense pelo Brasileirão com um time formado por reservas para dar descanso aos titulares, focados na semifinal da Copa Sul-Americana contra a Ponte Preta, na próxima quarta-feira.

Os reservas não decepcionaram e quase deixaram o Maracanã com um empate, mas é fato que Muricy Ramalho não voltou do Rio de Janeiro com aquela dor de cabeça que os técnicos dizem gostar de ter.

Nenhum dos onze jogadores que entraram em campo mostraram futebol suficiente para deixar o treinador com dúvida para escalar a equipe para o duelo contra a Ponte. Muricy até elogiou a atuação do time, mas ressaltou que o principal foi fazer algumas avaliações já pensando na próxima temporada.

Neste sentido, quem ganhou pontos foi o atacante Welliton, autor do gol no Macaranã. No entanto, o jogador tem contrato até o fim do ano e está emprestado pelo Spartak Moscou, que deve cobrar caro para liberar o jogador.

Já Jadson e Osvaldo, que eram titulares incontestáveis no primeiro semestre, não conseguiram convencer. O meia se destacou mais que o companheiro de ataque, que vive péssima fase, mas uma entrada como titular contra a Ponte é bastante improvável.

Jadson foi o jogador que mais procurado do São Paulo na derrota para o Flu, com 38 bolas recebidas, segundo oDatafolha, e finalizou duas vezes, porém, errou ambas.

O atacante segue na sua seca de gols. Osvaldo não marca há quase nove meses e chutou – e errou – apenas uma vez ao gol de Diego Cavalieri.

Assim, Muricy só não escalará seu time considerado ideal na partida decisiva de quarta-feira contra o time campineiro caso aconteça algum imprevisto na parte médica ou física.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*