Pratto, Jucilei e mais quatro recuperam pré-temporada com Ceni no São Paulo

As eliminações na Copa do Brasil e no Campeonato Paulista deram ao São Paulo um intervalo de duas semanas até a próxima partida, no dia 11 de maio, contra o Defensa y Justicia, pela Copa Sul-Americana, no Morumbi. A causa não foi nada nobre aos planos da equipe, mas esse período tem sido comemorado por alguns jogadores, especialmente aqueles que não conseguiram fazer a pré-temporada, de janeiro ao inicio de fevereiro.

São os casos de Lucas Pratto e Jucilei, apresentados à torcida no dia 12 de fevereiro, no Morumbi, e de reforços contratados com o Paulistão em andamento: o meia Thomaz, o lateral-esquerdo Edimar e os atacantes Morato e Marcinho.

Pratto fez pré-temporada com o Atlético-MG, e saiu no início do estadual (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

Pratto fez pré-temporada com o Atlético-MG, e saiu no início do estadual (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

Ceni considera que todo o embasamento tático foi passado ao grupo justamente naquele período, que o clube dividiu entre treinos nos Estados Unidos, onde disputou o Torneio da Flórida, e no CT da Barra Funda. Não que depois não se tenha feito atividades táticas, mas a sequência de jogos – o São Paulo fez um a cada 3,3 dias entre fevereiro e abril – impediu trabalhos mais profundos.

Pratto e Jucilei são considerados protagonistas da equipe. Ambos entraram muito bem, mesmo sem a pré-temporada, e se adaptaram rapidamente às ideias da comissão técnica. Fruto, na visão de Ceni e seus auxiliares, da experiência e qualidade da dupla. Mas eles acham que podem evoluir.

– Claro que queríamos disputar as finais do Paulista e seguir na Copa do Brasil, mas agora temos tempo para trabalhar e aprimorar a forma física. É um período importante para entrosar todo o grupo, principalmente os atletas que chegaram durante a temporada, e vamos evoluir bastante. Estamos focados e chegaremos bem no Brasileiro com este tempo de preparação – afirmou Jucilei ao site oficial do clube.

Desse sexteto, apenas Edimar e Marcinho ainda não estrearam. É consenso entre os jogadores que o método da comissão técnica é pouco comum, então esse período será importante para que eles compreendam exatamente o que Ceni e seus auxiliares esperam deles na Copa Sul-Americana e no Campeonato Brasileiro.

– Chegar e jogar foi bom por um lado, porque já peguei mais intimidade com o pessoal e fui inserido ao grupo, mas agora tenho a oportunidade de conhecer o trabalho do Rogério sem aquela pressão entre um jogo e outro. Já dá para perceber que é uma filosofia diferente e tenho me adaptado. Queremos evoluir e aprender ainda mais com o treinador, além de poder melhorar fisicamente. O Rogério cobra bastante intensidade e posse de bola. É um método de trabalho legal e tenho aproveitado – afirmou Morato, titular na vitória por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, no Mineirão.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*