Pela terceira vez, expulsão em casa atrapalha o tetra do São Paulo

Sem entrar no mérito da questão de ter sido justa ou não a expulsão de Maicon, o fato é que pela terceira vez um cartão vermelho no Morumbi atrapalhou o sonho do São Paulo de ser tetracampeão da Libertadores. O empurrão do zagueiro na cabeça do atacante Borja deixou o time com 10 jogadores. Depois, o Atlético Nacional marcou os gols da vitória por 2 a 0 e conquistou o direito até de perder por um gol em sua casa, na Colômbia, na próxima quarta.

O são-paulino deve ter se lembrado de Lúcio, ou até mesmo de Josué. Em 2013, o zagueiro, capitão da seleção brasileira na Copa do Mundo de três anos antes, recebeu cartão vermelho ainda no primeiro tempo do árbitro paraguaio Antonio Arias. O Tricolor vencia o Atlético-MG por 1 a 0, mas tomou a virada dentro de casa e foi em desvantagem para o Independência, onde sofreu uma goleada de 4 a 1 e caiu nas oitavas de final.

Maicon São Paulo Atlético Nacional (Foto: Marcos Ribolli)A expulsão de Maicon durante jogo contra o Atlético Nacional (Foto: Marcos Ribolli)

Há mais tempo, em 2006, o São Paulo defendia o título na final contra o Internacional, mas Josué foi expulso pelo uruguaio Jorge Larrionda nos primeiros minutos de jogo. O visitante venceu por 2 a 1 e confirmou o título no Beira-Rio, uma semana depois, com empate em 2 a 2.

Dessa vez foi o argentino Mauro Vigliano quem mostrou cartão vermelho a Maicon, contratado na semana passada por 6 milhões de euros (R$ 22 milhões), além de parte dos direitos econômicos e as transferências dos jovens Lucão e Inácio.

Os cartões vermelhos já vinham sendo um transtorno para o São Paulo desde a fase de grupos. Nas duas últimas partidas, que valeram a classificação, o time sofreu com expulsões. Primeiro João Schmidt, na vitória sobre o River Plate. O tranquilo 2 a 0 se transformou num 2 a 1 com direito a pressão no fim.

Na altitude de La Paz, Denis recebeu o cartão vermelho no finalzinho do empate por 1 a 1 com o The Strongest, e como o São Paulo já havia feito três substituições, foi justamente Maicon quem vestiu a camisa de goleiro e assegurou a classificação. Depois do jogo, Calleri também foi expulso em confusão com bolivianos no centro do campo.

Nas oitavas de final, com a classificação praticamente assegurada – o Toluca precisava fazer cinco gols nos minutos finais do segundo tempo –, o atacante Centurión cuspiu num adversário e foi excluído da partida. A Conmebol aplicou multa de três jogos. Isso significa que ele estará apto a enfrentar o Atlético Nacional, em Medellín, na próxima quarta-feira.

Lucio expulso jogo São Paulo Atlético-MG (Foto: Leandro Martins / Agência Estado)Lucio é expulso durante partida contra o Atlético-MG, em 2013 (Foto: Leandro Martins / Agência Estado)
Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.