Os sete motivos que separam o Luis Fabiano de 2014 do de 2013

Luis Fabiano terminou 2013 em baixa no São Paulo. Sem repetir o futebol que o tornou ídolo no Morumbi e sofrendo críticas da torcida, viu seu então concorrente, Aloísio, assumir um papel de destaque na equipe.

Entrou em 2014 sem a mesma confiança dos são paulinos, mas virou o jogo: neste começo de ano, o camisa 9 parece um jogador bem diferente daquele que penou na maior parte do segundo semestre na última temporada.

A mudança não aconteceu de um dia para o outro, e deve-se a uma série de fatores. Em contato com profissionais do cotidiano do clube, o UOL Esporte apurou os elementos que contribuíram para o Luis Fabiano de 2014, artilheiro do Paulistão, com oito gols. Confira:

1)      Hora da verdade – conversa a portas fechadas

Entre o final de novembro e o começo de dezembro de 2013, a diretoria do São Paulo decidiu ter uma conversa dura, a portas fechadas, com Luis Fabiano e seu agente, José Fuentes. Na ocasião, o atacante foi avisado do interesse do clube em mantê-lo, com uma série de condições: dedicação para atingir a melhor forma física e mudança na postura irritadiça dentro e fora de campo.

O treinador Muricy Ramalho também conversou com o jogador, e gostou do que ouviu como resposta. Passou sua impressão ao vice-presidente de futebol, joão Paulo de Jesus Lopes. Os diálogos surtiram efeito: durante a pré-temporada, o artilheiro teve oferta do futebol inglês, mas decidiu permanecer. As coisas começavam a mudar.

2)      Pré-temporada bem feita e fim das dores

Os relatos da comissão técnica à diretoria na volta aos trabalhos de 2014 foram animadores. Dirigentes afirmam que o próprio Muricy Ramalho chegou a dizer que o atacante estava “se matando” nos treinos. Seu comportamento, dentro e fora de campo, também havia mudado.

A preparação física intensa contribuiu diretamente para que o camisa 9 recuperasse a mobilidade que pareceu perdida em 2013. Também eliminou boa parte das dores que o acompanharam durante o ano, e, segundo a diretoria, contribuiu para um Luis Fabiano mais feliz, diferente do que havia ganhado fama de “ranzinza” no CT da Barra Funda na temporada passada.

3)      Sem sombra

  • Reprodução/osports.cnAloísio poderia ter começado o Paulistão como titular, mas acabou se transferindo para a China

Se mantivesse a coerência, Muricy provavelmente teria começado o Paulistão com Aloísio entre os titulares. O raçudo atacante havia terminado o Brasileiro em alta, e caía nas graças da torcida com seus gols e voadoras.

Só que o Boi Bandido acabou negociado para o futebol chinês. A saída deixou Luis Fabiano como o único jogador de área no elenco, e abriu espaço para uma sequência de jogos que permitiu ao atleta mostrar a recuperação.

4)      Bombardeio na área – com qualidade

  • Reinaldo Canato/UOLÁlvaro Pereira, ao lado do colobiano Pabón, municia o ataque são paulino com cruzamentos

Para 2014, o São Paulo “importou” da Europa dois reforços: Álvaro Pereira e Dorlán Pabón. Os dois tem em comum uma característica: cruzam muitas bolas na área, criando oportunidades para o centroavante. Juntos, o uruguaio e o colombiano já fizeram, segundo o Footstats, nada menos do que 79 cruzamentos, e estão entre os três jogadores que mais cruzam no elenco.

Os dois batem bem na bola – tanto que estão entre os cobradores de escanteios e faltas pelos lados. Na quarta-feira, diante do Audax, Luis Fabiano aproveitou, de cabeça, um dos levantamentos de Pabón.

5)      Meio de campo sem brucutu

  • Divulgação/Site Oficial do São PauloSouza faz companhia a Maicon e dá qualidade ao meio de campo do São Paulo

Com a chegada de Souza, o time passou a jogar sem um camisa 5, um volante de contenção tradicional. O reforço chega ao ataque e tem qualidade no passe. Seu companheiro, Maicon, é praticamente um meia de origem, atuando como segundo volante.

A dupla faz o meio campo funcionar, atrai a marcação com a subida ao ataque e dá um toque de qualidade ao meio ausente em 2013, que contribui muito para o funcionamento dos jogadores de frente. Juntos, Souza e Maicon acertaram 94% dos passes que tentaram no Paulistão.

6)      Recuperação de Osvaldo

Osvaldo ainda não recuperou o bom futebol do primeiro semestre de 2013, mas Luis Fabiano não pode reclamar de estar isolado na frente.Seu companheiro de ataque voltou a dar trabalho para os marcadores, e já deu quatro assistências no ano. O trio Osvaldo, Pabón e Pereira deu passe para 10, dos 23 gols do São Paulo no Paulista – 43%.

7)      Copa 2014 – Luz no fim do túnel

  • AFP PHOTO/ EvaristAtacante são paulino ainda nutre esperança de estar no grupo dop Brasil na Copa do Mundo

As chances são remotas, mas Luis Fabiano já deixou claro à diretoria do seu clube que tem esperanças de ir à Copa. Único centroavante garantido no elenco de Felipão, Fred enfrenta problemas físicos. Outros concorrentes, como Jô, não têm mantido a regularidade.

A possibilidade e beliscar uma vaga de última hora serve como motivação extra para o são paulino, pelo menos durante a primeira metade do ano.

A mudança de atitude de Luis Fabiano ficou clara na goleada de quarta sobre eu Audax: o camisa 9 atuou pendurado, mas surpreendeu positivamente a torcida e não levou o terceiro amarelo. Por isso, será uma das armas do São Paulo no clássico de domingo, diante do Corinthians.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*