Oposição do SP diz que Juvenal fez ‘voo da alegria’ com conselheiros

O grupo de oposição do São Paulo, liderado pelo candidato à presidência Kalil Rocha Abdalla e pelo ex-superintendente de futebol Marco Aurélio Cunha fez na noite desta terça-feira o terceiro evento aberto à imprensa, em um bar na Vila Madalena, zona oeste da capital paulista. Ao falar, o candidato Kalil Rocha Abdalla disse que a atual diretoria convidou e levou conselheiros vitalícios para viajar à Colômbia com a delegação, que enfrentará nesta quarta-feira o Atlético Nacional, em Medellin.

“Vi um avião saindo… Avião do Faustão?”, ironizou Abdalla. “Foi levado um grande grupo de conselheiros vitalícios”, afirmou o candidato à presidência, que até dois meses atrás era diretor jurídico da gestão de Juvenal Juvêncio.

Na segunda-feira, o São Paulo saiu do Aeroporto Internacional de Guarulhos em viagem a Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. De lá, a delegação fretou um avião para Medellin, na Colômbia, no mesmo dia. Em Guarulhos, com o time, foram vistos apenas o diretor de futebol Rubens Moreno e o gerente Gustavo Vieira de Oliveira.

O encontro contou com a presença de ex-presidentes, conselheiros e sócios do clube, e teve discurso e apresentação de slides da campanha do grupo, denominado SPFCforte. A cerimônia começou mais uma vez com o apresentador Cesar Filho, do SBT. Ao lado de Marco Aurélio Cunha, destacado para comandar o departamento de futebol do São Paulo em caso de vitória nas eleições, Abdalla exibiu slides e falou sobre a situação do clube.

O candidato afirmou que “tem certeza” que conseguirá colocar em prática a obra de modernização do Morumbi, anunciada no fim de 2011 e parada até agora. Já Marco Aurélio disse que é preciso levar em conta que o São Paulo viveu neste ano a fase mais negativa de sua história, apesar da recuperação atual, segundo ele baseada no retorno do técnico Muricy Ramalho.

O ex-superintendente ainda afirmou que a atual diretoria entrou em diversos conflitos com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Federação Paulista de Futebol (FPF), Conmebol e Rede Globo, detentora dos direitos de transmissão de TV dos principais campeonatos. Segundo ele, uma das propostas será restabelecer boas relações com as entidades e instituições, nos bastidores.

Como exemplo, Cunha citou a suspensão do meia Paulo Henrique Ganso por dois jogos na Copa Sul-Americana. “Alguém não foi lá. Alguma coisa não foi feita. Ganso não fez nada e pegou dois jogos. Não é possível. O São Paulo está com relações muito ruins”, falou.

O grupo e oposição ainda levou ao palco o ex-presidente Fernando Casal de Rey, que dirigiu o clube entre 1994 e 1998. O ex-dirigente, que apoia o grupo, falou que o trabalho será de resgatar o clube e membros do Conselho que “foram esquecidos e perderam identidade” durante os últimos anos.

A eleição no São Paulo acontecerá na segunda quinzena de abril de 2014. O candidato da situação, nomeado pelo presidente Juvenal Juvêncio, é Carlos Miguel Aidar, que presidiu o clube entre 1984 e 1988.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*