O que mais Rogério Ceni pode fazer no futebol?

Nas duas últimas vezes em que renovou contrato com o São Paulo e adiou a aposentadoria, Rogério Ceni abriu caminho para a quebra de recordes. Primeiro, bateu a marca de jogos por um mesmo time, antes atribuída a Pelé. Neste ano, deixou o galês Ryan Giggs para trás e passou a ser o atleta com mais vitórias por um mesmo time na carreira.

Com a renovação assinada ontem até 5 de agosto, com possibilidade de ampliação para o Mundial de Clubes em caso de título da Copa Libertadores da América, o Mito tem tudo para deixar suas marcas ainda mais expressivas. Comecemos pelo número de partidas disputadas pelo ídolo.

Até hoje, Ceni atuou em 1183 jogos com a camisa do São Paulo: o primeiro em 25 de junho de 1993 e o último em 26 de novembro de 2014. Se imaginarmos um cenário pessimista, com o Tricolor eliminado na primeira fase do Campeonato Paulista e da Libertadores, o capitão são-paulino disputaria mais 35 jogos, além dos dois restantes deste ano, chegando a 1220 aparições pelo clube paulista.

Já o número de vitórias está em 620. Em situação improvável, com o São Paulo vencendo todos os jogos que disputar em 2015 e com Ceni em campo mais os dois de 2014 serão 82 triunfos.

Nesse cenário perfeito, seriam 80 partidas no ano e títulos em todos os torneios disputados: Campeonato Paulista, Libertadores, Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Mundial. Ceni chegaria, então, a 37 troféus na carreira, sendo 35 no São Paulo.

Na Libertadores, o Mito já é o recordista brasileiro de jogos com 82 atuações e o maior artilheiro do Tricolor com 14 gols. Só na primeira fase, o número de partidas pode chegar a 88, aumentando para 96 se o time de Muricy Ramalho chegar à decisão.

Os meses extras na carreira também podem elevar Rogério Ceni a um patamar nunca imaginado no ranking de artilheiros do São Paulo. Atualmente, o goleiro possui 123 tentos, em média de um gol a cada dez partidas no clube. Se a marca for mantida e o número de jogos for igual ao deste ano (65), por exemplo, o camisa 01 marcará seis vezes na próxima temporada. O número é suficiente para que o Mito tricolor ultrapasse Raí na artilharia.

O grande ídolo da geração vitoriosa do início dos anos 1990 tem 128 gols anotados com a camisa são-paulina e ocupa a décima colocação no ranking de artilheiros. Mas Raí não seria o primeiro camisa 10 histórico do São Paulo a ser ultrapassado por Ceni. Neste ano, o uruguaio Pedro Rocha foi deixado para trás com 122 tentos.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*