Na Venezuela, Ganso completa ‘trilha’ da América e luta por fase artilheira

O sucesso do São Paulo no duelo desta quarta-feira, às 19h30, contra o Trujillanos (VEN), pela Libertadores, pode estar em Paulo Henrique Ganso e seu passaporte. Afinal, o camisa 10 conhece a América como poucos. A Venezuela, onde será a partida na cidade de Varela, é o único país que faltava para o Maestro visitar em competições do continente.

Bolívia, Chile, Peru, Argentina, Equador…. Faltava a Venezuela e lá Ganso tem a chance de reforçar a boa fase e melhorar seus números, já que o retrospecto quando visita países vizinhos não é dos melhores, embora já tenha conquistado os três principais torneios da América do Sul: Libertadores (2011), Sul-Americana (2012) e Recopa (2012).

Na Argentina, semana passada, contra o River Plate, Ganso brilhou e fez o seu quarto gol no ano, virando artilheiro do time. Também foi o quarto dele entre Libertadores, Copa Sul-Americana e Recopa, seja pelo Santos ou São Paulo, atuando fora do país. Mas o retrospecto é pior no coletivo: foram cinco vitórias, sete empates e sete derrotas, aproveitamento de 38,5%.

É preciso ressaltar que apenas o desempenho individual de Ganso não será o bastante para o São Paulo. Com a situação no Grupo 1 da Libertadores, é consenso entre o grupo que não vencer praticamente elimina o time da competição.

O gol de Ganso na Argentina deu sobrevida, mas o São Paulo tem apenas um ponto, atrás de The Strongest (BOL), com seis, e River, com quatro. Não pode vacilar e por isso a experiência de cada jogador será fundamental. É hora de Ganso mostrar sua força na América!

MEMÓRIAS DA AMÉRICA

QUASE FOI
Ganso já poderia ter jogado na Venezuela, mas uma lesão o atrapalhou. Em 2011, o Santos estreou na Libertadores contra o Deportivo Táchira, na cidade venezuelana de San Cristóbal e camisa 10 foi baixa. O jogo terminou 0 a 0.

FRACASSO
Pela Seleção, o Maestro não teve sorte aqui no continente. Foi o camisa 10 na Copa América na Argentina em 2011, mas não jogou bem e caiu com o Brasil de Mano Menezes nas semifinais para o Paraguai, em disputa por pênaltis.

OS JOGOS DE GANSO FORA DE CASA NA AMÉRICA

PELO SANTOS

2011

Colo Colo 3×2 Santos – Monumental, Santiago (Libertadores)
Cerro Porteño 1×2 Santos – General Pablo Rojas, Assunção (Libertadores)
América 0x0 Santos, Estádio Corregidora, México (Libertadores)

2012

The Strongest 2×1 Santos – Hernando Siles, Bolívia (Libertadores)
Juan Aurich 1×3 Santos – Elias Aguirre, Peru (Libertadores)
Bolívar 2×1 Santos – Hernando Siles, Bolívia (Libertadores)
Vélez Sarsfield 1×0 Santos, José Amalfitani, Argentina (Libertadores)
Universidad de Chile 0x0 Santos, Nacional, Chile (Recopa Sul-Americana)

8j, 2v, 4d, 2e
Libertadores – 7 jogos
Recopa Sul-Americana – 1 jogo

PELO SÃO PAULO

2012:
Universidad Católica 1×1 São Paulo – Sul-Americana (Chile)

2013:
Arsenal 2×1 São Paulo – Libertadores (Argentina)
The Strongest 2×1 São Paulo – Libertadores (Bolívia)
Universidad Católica 3×4 São Paulo – Sul-Americana (Chile) – expulso

2014:
Huachipato 2×3 São Paulo – Sul-Americana (Chile) – fez um gol
Emelec 3×2 São Paulo – Sul-Americana (Equador) – fez um gol
Atlético Nacional 1×0 São Paulo – Sul-Americana (Colômbia)

2015:
San Lorenzo 1×0 São Paulo – Libertadores (Argentina)
Danubio 1×2 São Paulo – Libertadores (Uruguai)

2016:
César Vallejo 1×1 São Paulo – Libertadores (Peru)
River Plate 1×1 São Paulo – Libertadores (Argentino) – fez um gol

11 jogos – 3v, 3e, 5d
Libertadores – 6 jogos
Sul-Americana – 5 jogos
3 gols

 

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*