Medo de manchar imagem de ídolo diminui chance de Ceni virar técnico

Rogério Ceni tinha na oportunidade de virar técnico de futebol um dos caminhos a serem percorridos após encerrar sua carreira como jogador. Diante das críticas que tem visto ao trabalho de Juan Carlos Osorio no São Paulo, no entanto, o goleiro passou a repensar a possibilidade, com medo de manchar o que de mais precioso conseguiu em 25 anos no Tricolor: a imagem de ídolo da torcida.

“Para deixar intacta essa imagem acho difícil eu seguir para esse lado, pelo menos aqui (no São Paulo)”, afirmou o capitão, surpreendendo a todos. A ideia de comandar um time sempre foi pauta para Ceni desde que ele começou a cogitar a sua aposentadoria, inicialmente marcada para o ano passado.

Como não consegue se ver em outra equipe do país, o cargo de treinador tricolor sempre foi ligado ao arqueiro quando ele estivesse aposentado dos gramados. Dessa vez, porém, o ainda atleta vê no exemplo recente de Osorio algo desmotivante para as suas aspirações iniciais.

“Nós fizemos um grande jogo contra o Palmeiras, talvez o nosso melhor nos últimos meses. Saídas rápidas para o ataque, bom toque de bola, marcação bastante encaixada. Tudo estava perfeito até os 47 minutos, quando eu acabei fazendo a escolha errada e dei o azar de ela bater na perna do Alecsandro. Foi só empatar e as avaliações mudaram, o jogo já foi mais igual, a nossa partida não foi tão boa assim…”, analisou.

Para Ceni, a crítica deveria valorizar mais as vantagens que o treinador trouxe ao clube. “No futebol brasileiro, a maioria dos times joga para se defender, tentar não ser pego de surpresa. O Osorio, desde o Atlético Nacional, atua para frente, arriscando. Isso é uma visão muito legal do futebol e ele conseguiu trazer para cá. Não só para o São Paulo, mas para o Brasil”, observou.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*