Luis Fabiano e Henrique medem poder de decisão em primeiro duelo

A correria com os braços abertos ou a mão simulando o corte de um degolador no pescoço são as comemorações que podem definir o Choque-Rei deste domingo. Artilheiros da temporada em São Paulo e Palmeiras, respectivamente, Luis Fabiano e Henrique se enfrentam pela primeira vez nestes clubes e colocam à prova no Morumbi seus poderes de decisão.

Para Luis Fabiano, a chance de iniciar a partida é a ratificação de confiança retomada após os dois gols que marcou nos dois últimos jogos. Pela primeira vez desde as contratações de Alan Kardec e Michel Bastos, o centroavante será titular simplesmente por opção técnica, em vez de apenas suprir algum desfalque.

É a consequência da evolução do atacante depois de passar dois meses em recuperação de lesão na coxa direita e admitir estar descontente com o banco. Agora, com uma assistência e dois gols, convenceu Muricy Ramalho de que merece a chance por seu repertório atual.

“Não tem jeito, sempre vou ser o cobrado da situação. Realmente é curioso. Quando não estou jogando, a culpa é minha, ninguém vê que o companheiro está bem. Quando entro e faço gol, a maioria fica feliz, apoia e é aquela festa toda. A minha vida aqui não é fácil. Mas gosto desse tipo de coisa. Sempre passei por cima das situações desagradáveis”, discursou o camisa 9.

Montagem sobre fotos Gazeta Press

Artilheiros vão se enfrentar pela primeira vez em seus clubes no Choque-Rei deste domingo, no Morumbi

O histórico do jogador em clássicos não merece contestações, já que é o atleta do elenco com mais gols em partidas contra os maiores rivais do Tricolor – foram 20 em 36 confrontos. Na vitória são-paulina do primeiro turno, por 2 a 1, no Pacaembu, Luis Fabiano esteve fora, por contusão.

Henrique, por sua vez, iniciou sua estatística positiva em clássicos ao converter pênalti em Rogério Ceni. Também balançou as redes diante de Corinthians e Santos e ainda comprovou sua importância no Verdão ao fazer tantos gols que ocupa a artilharia do Campeonato Brasileiro, com 15.

Neste domingo, atuará pela primeira vez no Morumbi como jogador do Palmeiras, com o anseio de manter a escrita e quebrar um jejum: apesar de seus gols, ainda não venceu nenhum clássico pelo clube. “Assim espero. Sei que é importante fazer gols em clássicos, fica um gosto mais do que especial e espero que se repita. Mas o mais importante é vencer”, definiu.

Além das semelhanças pela constância de gols, Luis Fabiano e Henrique também têm em comum a incerteza de suas permanências nos clubes atuais. Para 2014, porém, ainda há tempo de decidir um clássico. E mostrar que qualquer esforço das diretorias para renovação vale a pena.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*