Luis Fabiano diz ignorar triunfo dos rivais, mas admite ‘pressão forte’

As últimas duas semanas foram muito complicadas para o torcedor do São Paulo. Além de amargar a eliminação na Copa do Brasil diante do Coritiba, resultado que decretou a demissão do técnico Emerson Leão, o são-paulino viu o Palmeiras conquistar o torneio e, pouco antes, o Corinthians levar a Taça Libertadores da América. E isso, sem dúvida nenhuma, aumenta a pressão para a equipe tricolor voltar a conquistar um caneco, o que não ocorre desde 2008, quando Rogério Ceni levantou a taça do sexto título brasileiro.

Capitão do time na ausência do goleiro, que está em fase final de recuperação, Luis Fabiano diz que o time precisa dar a resposta que o torcedor tanto espera.

– A pressão aqui é forte desde 2008, quando conquistamos o último título. A torcida espera uma resposta rápida e espero que ela venha nesse ano. É claro que, se fecharmos 2012 com uma vaga na Libertadores do ano que vem já será espetacular. Mas, independentemente de Palmeiras e Corinthians, vamos atrás de um título – afirmou o camisa 9.

O meia Jadson, que seguirá como titular nas mãos de Ney Franco, seguiu pela mesma linha de raciocínio.

– Faz três anos que não conquistamos títulos e faz três anos que a torcida nos cobra. Temos de transformar isso em motivação para buscar as vitórias. Temos a obrigação de chegar no G-4 no final, mas nossa equipe é capacitada e podemos pensar em títulos – disse.

Luis Fabiano retornará ao time no domingo, contra o Palmeiras, na Arena Barueri, após cumprir o segundo jogo da suspensão imposta pelo STJD pela expulsão ocorrida contra o Atlético-MG. O Fabuloso acredita que o Verdão vai ainda mais motivado para o clássico.

– Eles virão mais tranquilos. Quando você está feliz, as coisas acontecem naturalmente, da melhor maneira possível. Hoje, pode-se dizer que o momento do Palmeiras é espetacular. Eles não vão querer perder. E nós precisamos manter nossa arrancada. Temos duas vitórias e precisamos da terceira para continuarmos entre os primeiros e apagar de uma vez por todas todo o mal que a Copa do Brasil nos trouxe – ressaltou.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*