Huachipato contraria São Paulo e trata duelo como o mais importante do ano

De um lado, a indiferença. Do outro, a euforia. São Paulo e Huachipato têm posturas totalmente opostas em relação ao confronto desta quarta-feira, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. Entre os brasileiros, o técnico Muricy Ramalho reclama do desgaste provocado pela viagem, enquanto o presidente Carlos Miguel Aidar desdenha do torneio. Já para os chilenos, o confronto é tratado como o jogo mais importante do ano.

Até o público mudou sua postura. Em jogos do campeonato chileno, a torcida dentro do estádio CAP não passa de quatro mil pessoas. Para a partida contra o Tricolor, nove mil bilhetes foram colocados à venda e, até a tarde desta terça-feira, restavam pouco mais de 800 ingressos. A pressão será forte e a expectativa é de que, mesmo após a derrota por 1 a 0 no Morumbi, o Huachipato tenha força suficiente para reverter a desvantagem e sair de campo classificado.

Questionado sobre o assunto, o técnico Mario Salas foi político e preferiu falar apenas de seu time.

– Não posso falar sobre o São Paulo. Tenho de me preocupar apenas com a minha equipe. Posso dizer que, para nós, o jogo de amanhã é importantíssimo. E que, para vencer, necessitamos de uma atuação excelente. Boa ou muito boa não servirão. Temos confiança de que nos preparamos da melhor maneira possível em busca do resultado. Temos nossas armas e estamos confiantes – afirmou.

Para o comandante da equipe chilena, o primeiro passo para buscar a vitória é repetir a boa atuação mostrada no estádio do Morumbi, quando o Huachipato perdeu, mas desperdiçou boas chances de gol e poderia ter saído de campo com um resultado diferente.

– Se mostramos aquele nível de atuação e tivermos mais capricho nas finalizações, não tenho dúvida de que podemos vencer. O São Paulo é um adversário muito duro, tem grandes jogadores. É claro que peças como Kaká e Souza fazem falta, mas o time tem Rogério Ceni, Kardec, Pato, Denilson, Ganso, entre outros. A ajuda do nosso torcedor será fundamental para buscarmos o resultado – ressaltou.

O volante Arrue seguiu pela mesma linha de raciocínio.

– Nosso time tem um jeito de jogar e não vai mudar. Para mim, a ausência de Kaká não traz nenhuma vantagem, já que o elenco do São Paulo é muito qualificado. Para nós, é o jogo mais importante do ano, vale muito. Ganhar seria maravilhoso, mas temos de fazer por merecer. Estamos prontos – avisou o meio-campista.

Huachipato e São Paulo entrarão em campo às 19h30 (horário de Brasília) e o GloboEsporte.com fará o acompanhamento em tempo real a partir das 18h30.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*