Diretor explica atuação do São Paulo no mercado em busca de reforços

O São Paulo está de olho no mercado da bola e se movimenta nos bastidores para reforçar o elenco. De acordo com o diretor-executivo Marco Aurélio Cunha, a ideia é acertar dois ou três jogadores para 2017. A prioridade é o setor ofensivo, com meias e atacantes.

– O mercado está aí. Não podemos ignorar jogadores como o Keno, que o Palmeiras trouxe, e todos os outros jogadores que estão em via de encerrar o contrato e têm uma grande performance nas suas equipes. Estão no radar do São Paulo. Viabiliza-los é um outro caminho, muito mais duro. Envolve vontade, cifras financeiras e tal, mas não podemos ignorar quem joga bem – disse Marco.

Alguns dos nomes citados internamente são Nilmar, Sassá (Botafogo), Willian (Cruzeiro) e Rafael Marques (Palmeiras).

– Estamos olhando, o que não quer dizer que o São Paulo vai contratar todo mundo, mas alguns, dois ou três o São Paulo tem o dever de trazer. Vai ter concorrência e dificuldades, mas são jogadores que talvez encaixem bem no São Paulo. Há muitos, uns 20, e vamos ver qual podemos trazer – afirmou.

Segundo Marco Aurélio, o técnico Ricardo Gomes participa do planejamento do time de 2017. O treinador, inclusive, recebeu confiança do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, que falou em mantê-lo para a próxima temporada, depois da vitória sobre a Ponte. Por outro lado, o diretor-executivo não o garante no cargo. Seu contrato não tem multa rescisória, nem prazo definido.

– O futuro está aberto a resultados e outras questões que podem acontecer. Ninguém é garantido de nada. Eu sempre digo isso: se eu garanto alguém é para ser contestado amanhã porque eu mudei de opinião. Estamos trabalhando no dia a dia, pensando no ano que vem, sim, com Ricardo Gomes, sim. Essa é a nossa intenção, mas as coisas mudam sem que a gente queira às vezes – disse o dirigente.

Rogério Ceni não está entre os ex-atletas consultados por Marco Aurélio sobre reforços para o São Paulo. O ídolo está na Europa, onde estuda para virar treinador. A possibilidade de tê-lo no comando do time no próximo ano não está descartada.

– Não tive a oportunidade de conversar com Rogério sobre isso, porque ele está focado na sua formação. É um momento pessoal, não cabe perguntar isso a ele porque não é o atual foco dele – disse.

Na visão de Marco, as saídas de Ganso, Calleri, Alan Kardec, Rogério, Centurión e Kieza enfraqueceram o setor ofensivo.

 

Fonte: Globo Esporte

4 comentários em “Diretor explica atuação do São Paulo no mercado em busca de reforços

  1. Eu acho que o São Paulo não errou ao contratar Michel Bastos, mas errado foi o Michel quando, de um momento para o outro, parou de jogar de propósito.O São Paulo não esperava por isso.O São Paulo renovou com Michel dia 23 de maio de 2015, dia do jogo São Paulo x Joinville, no Morumbi, terceira rodada do Brasileiro.A partir da renovação (o jogador vinha de uma dengue), Michel não jogou mais nada até agora! Aí não é culpa do clube, mas do jogador.Quando deste dia acima,assinatura do contrato, ele estava jogando bem.A partir daí, não jogou mais nada!Lógico que não deve ficar, mas Michel não foi um erro na contratação.O que houve é que o ex-jogador em atividade simplesmente virou chinelinho e por iniciativa própria.

  2. Concordo com o Murilo. Deixar de oportunismo prejudicial, contratando jogadores bichados e sem contrato. Investir e pagar por jogadores que venham para fazer diferença. Se querem oportunidade, eis aí o Cicinho, LD na Turquia, dando sopa e sendo o melhor lateral daquele país e o Cacá, que está em fim de contrato e quer voltar ao Brasil.

  3. Bomba do beto ! Reunião de diretoria essa semana pode define técnico para 2017

    Tem um cara que estava na china que está agradando muito os diretores

    Quem será ele? logo, logo eu conto assim que me confirmarem

    apenas uma pergunta o soberano vai cai quando para serie B? kkkkkkkkkk , por favor alguém me responda estou querendo muito saber kkkkkkkk

    Pra sempre soberano

  4. Que tal arrumar dinheiro e contratar jogadores muito bons, no auge técnico e físico, e que realmente levem o time à disputa por títulos? Vamos começar por aí? Vamos abandonar a dependência de empresários, os contratos de 6 meses, as grandes oportunidades como Jean Carlos e Robson? Vamos desistir dos bichados e contratar sadios e prontos para jogar? Vamos parar de apostar em veteranos sem gás como Lugano ou gatos gordos e desmotivados com MB? Enfim, vamos ter uma direção que pense no São Paulo como um time grande?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*