Diretor crê em permanência de Ganso no São Paulo: “Prioridade número um”

O São Paulo decide na quarta-feira uma vaga nas quartas de final da Taça Libertadores da América, mas a diretoria segue planejando o futuro da equipe. Além da chegada de reforços pedidos por Edgardo Bauza, a renovação de contrato do meia Paulo Henrique Ganso virou “prioridade número um” pelos lados do Morumbi.

Quem cuida do assunto é o diretor de futebol, Luiz Antônio da Cunha, que conversou com a reportagem do GloboEsporte.com no hotel onde a delegação está hospedada em Acapulco, no México. O dirigente mostrou otimismo: é possível antecipar a renovação do vínculo do atleta, que termina em setembro de 2017.

– O Ganso é uma questão primordial do clube, é um assunto que está sendo tratado com luva de pelica. Eu mesmo estou cuidando disso. Normalmente, quem atua nessa questão é o Gustavo (Vieira de Oliveira, diretor executivo do clube), mas como tenho uma relação antiga e muito boa com o Pepinho (Giuseppe Dioguardi, empresário do jogador), tomei essa questão para mim – afirmou o dirigente.

Na sequência, o dirigente comparou a questão de Ganso com os casos de Maicon e Calleri, cujos empréstimos terminam no meio do ano. O São Paulo tenta acertar a permanência de ambos pelo menos até dezembro.

– Temos vários casos de prioridade número um. O Calleri é prioridade número um, o Maicon é prioridade número e o Ganso é prioridade número um acima dos outros. Dos três, o caso do Ganso é o mais fácil de ser resolvido – analisou Luiz Cunha.

Luiz Cunha São Paulo (Foto: Marcelo Prado)O diretor Luiz Cunha, que acompanha a delegação no México, confia na permanência do jogador (Foto: Marcelo Prado)

Atualmente, Ganso recebe R$ 300 mil mensais, salário abaixo de outros colegas do elenco. Já houve uma rodada de negociações e o São Paulo ofereceu R$ 400 mil ao atleta, proposta que foi recusada por Pepinho – o aumento não repõe nem a inflação do período que ele está no clube.

O meia chegou em setembro de 2012 contratado por R$ 24,9 milhões junto ao Santos. Mesmo assim, Luiz Cunha mantém o otimismo. Embora o presidente Leco tenha dito que topa aumentar o teto salarial (que é de R$ 300 mil mensais) para segurar o atleta, o diretor acredita que a questão pode ser resolvida de outra maneira.

– De repente, a gente mantém o teto e premia financeiramente de outra maneira. Tudo pode ser conversado, alternativas podem ser encontradas. Vamos resolver essa questão – ressaltou.

Ganso tem presença garantida na partida desta quarta-feira, contra o Toluca, pelas oitavas de final da Taça Libertadores da América. Por ter vencido o primeiro jogo por 4 a 0, o São Paulo entra em campo com a vantagem de poder perder por três gols de diferença.

Fonte: Globo Esporte

Um comentário em “Diretor crê em permanência de Ganso no São Paulo: “Prioridade número um”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.