Com todo elenco à disposição, São Paulo acirra briga por vagas na equipe

Ney Franco não poderá reclamar da falta de opções para escalar o São Paulo que fará o clássico contra o Corinthians, neste domingo, às 16h, no Morumbi, pelo Campeonato Paulista. Pela primeira vez desde o início da temporada, o treinador contará com todos os jogadores à disposição para, enfim, encontrar o time ideal que provavelmente será usado também na Taça Libertadores.

Paulo Miranda foi o último a deixar o departamento médico após operar o joelho esquerdo. Apenas o atacante Negueba segue em tratamento no joelho direito, mas sequer chegou a sonhar em atuar – se machucou logo no segundo dia de treinos no ano e passou por uma cirurgia.

Apenas quatro atletas são considerados titulares absolutos e não brigam por posições: o goleiro Rogério Ceni, o meia Jadson, o atacante Osvaldo e o centroavante Luis Fabiano. Independentemente de qual seja o esquema tático escolhido, o 4-2-3-1 ou o 4-4-2, o quarteto tem toda a preferência na disputa pelas vagas.

As batalhas pelos lugares são intensas já na defesa. Na lateral direita, o zagueiro Paulo Miranda é o preferido do treinador desde o ano passado, mas o volante Rodrigo Caio teve boas exibições improvisado na função e recebeu elogios. Douglas, originário da posição, corre por fora depois de alternar altos e baixos nas primeiras partidas. Lucas Farias, de 18 anos, faz parte do elenco.

Pela lateral esquerda, a concorrência é semelhante. Cortez fechou 2012 em alta, porém, caiu gradativamente de produção e passou a ser muito ameaçado por Carleto. Depois de regressar do empréstimo ao Fluminense, o jogador fez bons jogos recentemente e dificilmente sairá. O grupo ainda conta com o garoto Henrique Miranda.

Já na zaga, Ney Franco vem utilizando neste momento os jogadores que começaram 2013 na reserva. Rafael Toloi e Edson Silva ganharam a confiança dele e superaram Lúcio e Rhodolfo, criticados. Mesmo assim, a boa atuação dos dois últimos na vitória sobre o Paulista, em Jundiaí, voltou a acirrar a briga. Luiz Eduardo e João Filipe são a quinta e sexta opções.

Os volantes apresentam uma alternância de posições. Denilson pode atuar como o primeiro marcador, função semelhante a que Wellington e Rodrigo Caio fazem, ou ser posicionado mais adiantado, como no ano passado. Assim, passaria a disputar lugar com Fabrício e até com o meia Maicon, recuado para esse posto nas últimas partidas.

Caso o São Paulo continue escalado no esquema 4-4-2 e não seja usado como volante, o mesmo Maicon surge como o reserva imediato de Jadson e Ganso na armação. Se Ney optar pelo 4-2-3-1, ele e Paulo Henrique passam a ser suplentes de Jadson, um dos destaques do time até o momento. Outro que tem características parecidas para atuar no setor de criação é o argentino Marcelo Cañete.

O gringo tenta buscar seu espaço também no ataque, principalmente atuando pelo lado direito. Wallyson, um dos últimos a ficar à disposição após se recuperar de cirurgia no tornozelo esquerdo, é outro. Ambos estão abaixo de Osvaldo, último tricolor a ser convocado para a seleção brasileira. Para a vaga de centroavante, Luis Fabiano é absoluto, mas tem Aloísio como sua “sombra” para a temporada, além do garoto Ademilson.

Ney Franco busca um time ideal desde janeiro. Sem Lucas, negociado com o Paris Saint-Germain, o treinador encontrou problemas para sustentar a estratégia vitoriosa na Copa Sul-Americana e precisou mudar. Alternativas não lhe faltam para nesse momento.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*