Com Cuca, Tchê Tchê é titular em 93% dos jogos

Cuca fechou o treino tático de terça-feira e não deu pistas da escalação do São Paulo para o jogo contra o Goiás, às 21h30 desta quarta, no Serra Dourada, mas quem apostar na presença de Tchê Tchê entre os titulares dificilmente vai errar.

O técnico já teve o volante à disposição em 72 ocasiões e o mandou a campo em 70, sendo 67 desde o início (o que significa 93% das partidas).

Os dois trabalharam juntos pela primeira em 2016, no Palmeiras, e Cuca escalou Tchê Tchê entre os titulares nas 39 vezes em que o teve à disposição. E mais: só o substituiu em seis dessas ocasiões. Os dois foram campeões do Brasileirão e o jogador, que nunca havia jogado em clube grande antes, recebeu diversos prêmios como melhor de sua posição.

Cuca deixou o Palestra Itália em dezembro e retornou em maio de 2017. Encontrou Tchê Tchê em baixa, sofrendo para jogar como meia, de costas para o gol, como queria Eduardo Baptista. Mas o treinador deu moral para seu antigo homem de confiança e o escalou como titular nas dez primeiras partidas de seu retorno ao Verdão.

Na 11ª partida da segunda passagem (a 50ª no total), uma vitória por 4 a 2 sobre o Bahia, em Salvador, Cuca deixou Tchê Tchê na reserva pela primeira vez. Mas não foi por opção técnica: o jogador sofreu com uma virose naquela semana e estava no hospital quando a delegação viajou para o Nordeste. Mesmo assim, o técnico não abriu mão dele, pediu que o clube o enviasse sozinho para lá e o acionou no intervalo.

Cuca teve Tchê Tchê à disposição em mais 21 partidas até deixar o clube e o deixou na reserva em outras quatro oportunidades. No empate por 1 a 1 com o Cruzeiro que eliminou o Palmeiras da Copa do Brasil, o colocou para jogar os 16 minutos finais. Em uma derrota por 2 a 0 para a Chapecoense, no Allianz Parque, pelo Brasileiro, o mandou a campo no intervalo. Nas vitórias sobre Avaí (2 a 0, no Allianz) e Botafogo (2 a 1, no Nilton Santos), Tchê Tchê conheceu a sensação de ficar no banco e não ser chamado. Era sua fase mais difícil no Palestra Itália.

No São Paulo, o volante foi titular logo na primeira vez que ficou disponível e jogou 87 minutos da vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo, no último sábado, com bom rendimento e participação nas jogadas dos dois gols. Como estava sem jogar há mais de um mês, ele sentiu o cansaço bater, mas Cuca relutou muito para tirá-lo do jogo.

– Eu estava cansado fazia bastante tempo, estava pedindo para sair já. E ele falou: “segura, para de correr, para de correr”. Consegui ficar um pouquinho mais – contou Tchê Tchê, após a partida.

A falta de ritmo pode fazer a sequência de jogos que Cuca certamente quer dar a Tchê Tchê ser interrompida. Ao longo dos próximos 43 dias, o São Paulo disputará dez partidas, sendo oito do Brasileirão e duas pelas oitavas da Copa do Brasil. Depois, vem a parada para a Copa América.

Contra o Botafogo, Tchê Tchê fez dupla no meio de campo com Hudson. Hernanes, que poderia ser outra opção para jogar mais recuado, começou no banco. Luan e Liziero seguem fora de combate, entregues ao DM.

 

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.