Caso Kardec: São Paulo confiante, Palmeiras pessimista, e atleta triste

O São Paulo atravessou o Palmeiras na negociação por Alan Kardec e tem convicção de que vai fazer o centroavante pular o muro que divide os centros de treinamento dos dois times. No Tricolor, a confiança é grande. Já nos bastidores do Verdão, há a convicção de que segurar o atleta virou missão muito difícil.

Nos últimos dias, os rivais se comprometeram com o Benfica a pagar 4,5 milhões de euros (R$ 13,7 milhões) pela compra dos direitos econômicos do atacante. Mas o clube do Morumbi aposta na melhor oferta financeira ao atleta e na comissão a ser paga para Marcos Casseb, um dos representantes do jogador, para acreditar no sucesso. O Alviverde, por sua vez, tenta reverter a situação, mas sabe que financeiramente está atrás do rival.

A negociação pela renovação entre Kardec e Verdão começou com algumas ofertas do clube. Primeiro, R$ 170 mil mensais; depois, R$ 180 mil e R$ 200 mil mais a cláusula de produtividade – tudo por um vínculo de cinco anos. O atleta pediu R$ 230 mil. Depois de algumas reuniões, uma oferta de R$ 220 mil mais o bônus por produção deixou o acordo próximo. O Palmeiras ofereceu o montante, aceito pelo jogador e seus representantes. Mas após consulta do gerente Omar Feitosa e do diretor-executivo José Carlos Brunoro, responsáveis pelas conversas, o presidente Paulo Nobre barrou a quantia. Os agentes, então, foram informados de que o clube não poderia mais fechar por aquele valor e ficaram irritados.

A produtividade funcionaria da seguinte maneira: R$ 5 mil por jogo se ele for titular e 40% desse valor caso fique no banco. Ou seja, se o acordo fosse fechado pelos R$ 220 mil e o centroavante atuasse desde o início em todas as oito partidas de maio, receberia R$ 260 mil. Já em abril, com apenas três jogos, ganharia R$ 235 mil.

Por outro lado, a proposta do São Paulo é de aproximadamente R$ 300 mil, sem produtividade, e ainda com o triplo de luvas (prêmio por assinatura) que ele receberia do Palmeiras.

Além disso, a diretoria do Verdão trabalha com a informação de que o Tricolor oferece aproximadamente R$ 2,2 milhões de comissão para Marcos Casseb, mas isso é negado no São Paulo. O Palmeiras, por sua vez, aceitou pagar ao representante R$ 1,2 milhão em duas vezes. O jogador priorizava a renovação com o Palmeiras, até pela identificação com o clube, mas balançou com a proposta do São Paulo. A postura da diretoria alviverde nas negociações o deixou bastante decepcionado, sobretudo por ter aceito várias condições impostas pela cúpula e por acreditar que suas pretensões não eram absurdar: ele ganharia menos que jogadores como Fernando Prass, Wesley e Valdivia.

Indeciso, com o quadro de gastrite piorado e sem cabeça, Kardec não deve enfrentar o Fluminense, neste sábado, às 21h, pela segunda rodada do Brasileirão.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.