Calleri minimiza impacto de vexame e confia em recuperação contra o River

Pensar na próxima partida tem sido uma constante nos discursos adotados pelos jogadores do São Paulo. Após ser derrotado no clássico do último domingo, contra o Corinthians, o elenco disse que esqueceria o Paulistão para focar na Libertadores. Diante de mais um vexame tricolor, agora com o tropeço por 1 a 0 para o boliviano The Strongest, a mesma retórica se fez presente nas explicações dadas pelos atletas. Segundo o argentino Calleri, um dos poucos a falar com a imprensa no Pacaembu, o clube precisa buscar tranquilidade e se preparar para o encontro com o River Plate, marcado para o dia 10 de março, em Buenos Aires.

“O River Plate é o último campeão. É muito difícil, mas não é impossível. Temos de trabalhar durante toda semana, melhorar e ir para ganhar. Agora temos de nos recompor, tratar de ir bem no domingo e vamos em busca dos três pontos diante do River. Nós jogamos mal e fizemos uma partida ruim. Mas faltam cinco jogos e o São Paulo seguirá adiante”, disse o centroavante, pensando também no duelo de domingo, contra o Rio Claro, válido pelo Estadual.

De acordo com o raciocínio de Calleri, o revés para o Strongest não complica os planos do São Paulo na Libertadores. Ele ainda minimizou o fato de os bolivianos terem alcançado contra o Tricolor a primeira vitória como visitante em quase 34 anos de disputa da Copa Libertadores. “Eles também jogaram, por isso estão no campeonato. São um time e se armaram para isso. Fazia muito tempo que não venciam, mas existem jogadores do outro lado. Perdemos três pontos, mas temos 15 em disputa. Foram pontos importantes que um rival que brigará pela classificação ganhou”, analisou.

Ainda se adaptando ao estilo do futebol brasileiro, embora já tenha marcado três gols, Calleri disse que o clima nos vestiários do São Paulo “estava bom” após a derrota. Ele ressaltou, no entanto, a necessidade de haver mais diálogo entre os atletas. “Temos de nos falar mais e nos conhecer. Acho que a equipe precisa conversar para ir em busca de melhorias”, afirmou. “Mas creio que cada um sabe como jogou, o que errou e o que precisa melhorar”.

Sem saber se continuará no banco de reservas na sequência da temporada. Calleri voltará aos trabalhos com o restante do time na tarde dessa quinta-feira. Segundo o técnico Edgardo Bauza, o atacante iniciou o duelo com o Strongest entre os suplentes por não ter condições físicas para encarar os 90 minutos de partida. Declarações dadas pelo treinador argentino após o jogo indicam que a equipe principal continuará sendo escalada com apenas um centroavante, o que amplia a concorrência entre Calleri e Alan Kardec pela vaga disponível no ataque.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*