Após troca de farpas, Laor deixa comitê à frente do “caso Ganso”

O desgaste gerado pela negociação envolvendo a possível ida do meia Paulo Henrique Ganso para o São Paulo fez o presidente do Santos, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, tomar uma medida para evitar novos problemas com o tema. Após troca de farpas via imprensa com o jogador, quando alfinetou Ganso em nota oficial e, depois, disse que estava de “saco cheio” do imbróglio envolvendo o camisa 10, o mandatário resolveu deixar o assunto a cargo de outros pares da diretoria.

Em reunião na noite desta segunda-feira, no Conselho Deliberativo do Peixe, Laor afirmou que dois representantes do Comitê Gestor do clube vão tomar a frente da situação.

Álvaro de Souza, ex-presidente do Citibank no Brasil, e Eduardo Vassimon, ex-vice-presidente do Banco Itáu, serão os responsáveis por analisar possíveis ofertas que cheguem aos santistas para tirar Paulo Henrique Ganso da Vila Belmiro. A dupla também deve avaliar a relação custo-benefício do atleta no Alvinegro Praiano.

Com a delegação do assunto aos dois membros do Comitê de Gestão, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro acredita que as especulações sobre o destino do meio-campista devem diminuir. Isto porque, Souza e Vassimon são nomes de respeito e experiência no mercado empresarial, que não costumam facilitar negociações no ramo financeiro.

A dupla está autorizada a rejeitar todas as propostas que não atinjam o valor considerado ideal pelo presidente. O Tricolor Paulista, por exemplo, apresentou uma oferta de R$ 10,7 milhões pelos 45% dos direitos econômicos de Ganso, presos ao Santos. A proposta foi prontamente rejeitada.

Laor já declarou em algumas oportunidades que o “maestro” santista não deixa o clube por um valor inferior a multa rescisória para o futebol brasileiro: R$ 53 milhões. Deste montante, o Peixe teria direito a R$ 23,8 milhões. O grupo DIS, desafeto da atual cúpula alvinegra, detém os 55% restantes e, se alguém executar a multa, ficará com R$ 29,2 milhões na transação.

Ganso, que possui vínculo até fevereiro de 2015, também já esteve recentemente na mira do Internacional-RS, só que a oferta dos gaúchos, através do DIS, foi considerada muito baixa pelo Santos.

Enquanto a situação não se resolve, o meia, que rebateu o mandatário após a vitória sobre o Palmeiras, no último sábado, no Pacaembu, criticando o teor da nota oficial do Peixe – que reprovou a sua atitude de falar “que seria um prazer atuar no rival” – e acusando Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro de jogá-lo contra a torcida, segue à disposição do técnico Muricy Ramalho. Ganso treinou normalmente nos últimos dias e irá enfrentar o Bahia, nesta quarta, a partir das 19h30 (de Brasília), na Vila Belmiro.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*