Após títulos com ataques badalados, Muricy vê escassez em 2014

Muricy Ramalho olha com saudade para os pôsteres colocados nas paredes do CT da Barra Funda. As imagens do tricampeonato brasileiro conquistado pelo São Paulo em 2006, 2007 e 2008 sob seu comando levam o treinador a um tempo em que sobravam opções para montar o ataque. Hoje, a pouco mais de uma semana da estreia no Campeonato Paulista, a situação é bem diferente. E sem muita expectativa de melhora.

O Tricolor começa o ano com apenas quatro opções na frente. Nenhuma delas agrada pelo que demonstraram nos últimos meses: Luis Fabiano caiu em desgraça ao longo de 2013. O mesmo aconteceu com Osvaldo, em jejum de gols desde 28 de fevereiro. Silvinho praticamente não foi aproveitado desde que chegou. Apenas Ademilson evoluiu com o técnico, mas nunca foi unanimidade.

O setor, aliás, sofreu um sério desfalque desde que conseguiu escapar do rebaixamento na última edição do Brasileirão. Aloísio, artilheiro da equipe na temporada ao lado do Fabuloso com 22 gols, acabou negociado com o Shandong Luneng, da China. A reposição, até agora, não aconteceu.

Especialista em disputa por pontos corridos, Muricy faz questão de destacar a necessidade de um elenco numeroso para brigar por títulos. A fórmula rendeu muitos frutos ao Tricolor. A começar por 2006. O elenco do primeiro dos três títulos nacionais consecutivos contou com: Alex Dias, Allan, Edgar, Aloísio, Leandro, Ricardo Oliveira, Tadeu e Thiago Ribeiro.

No ano seguinte, o número de atacantes caiu, mas a disputa permaneceu dura para a escolha dos titulares das posições. Com Aloísio Chulapa, Borges, Dagoberto, Tardelli, Leandro e Marcel, o Tricolor mais uma vez abriu vantagem sobre os rivais e levantou a taça.

Com o caixa cheio e os resultados aparecendo, o São Paulo continuou investindo forte também em 2008. Chegaram André Lima e Éder Luís para as vagas de Leandro e Diego Tardelli, além dos juniores Roni e Pablo. O time conseguiu se manter em alta e levar ao tricampeonato.

Agora, Muricy sonha com a chegada de um atacante de velocidade e outro para ser o reserva imediato de Luis Fabiano. Rafael Sobis, do Fluminense, é o nome que agrada ao treinador. Para a vaga de centroavante, o clube procura um nome mais barato e sem tanta projeção.

A aposta da diretoria é de que o Fabuloso consiga apagar a má impressão deixada em 2013. O centroavante terminou o ano no banco de reservas e podendo até ser negociado. O jogador tem um dos maiores salários do elenco e precisa responder depois de tantas críticas.

– Ele está se empenhando bastante nos treinamentos – disse o vice-presidente de futebol, João Paulo de Jesus Lopes.

Com a dificuldade para contratar, o São Paulo tenta encontrar uma solução na base. O garoto Ewandro será incorporado ao elenco profissional assim que acabar a participação do Tricolor na Copa São Paulo de Juniores.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*