Após quase sair, Ademilson aprova salário e se ‘desprende’ de Lucas

O hoje xodó do São Paulo por quatro gols em cinco jogos como titular quase deixou o clube ainda nas categorias de base porque queria ser mais valorizado. Zé Sérgio, cuidava de Ademilson em Cotia, impediu sua saída para o Santos. E o jogador de 18 anos, agora, está satisfeito com o que recebe. Independentemente de suas comparações com Lucas, que pode ser vendido por R$ 113 milhões.

“Fiquei naquela de ser pouco valorizado, ficava pensando ‘será que saio?’. Perguntava isso todas as semanas ao Zé Sérgio e ao Toninho, outro treinador da base. Os dois são excelentes pessoas e sempre me falaram: ‘você vai ser rico aqui, vai fazer sucesso’. Aí deu tudo certo, fiz contrato e cheguei até aqui graças a Deus e a eles”, comemorou Ademilson.

A quase saída do garoto, em 2010, quando ele tinha 16 anos, foi revelada por Zé Sérgio durante sua participação no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, de 29 de julho. “O pessoal da parte administrativa do São Paulo o achava muito pequeno. Mas falei que deveríamos observá-lo e que o menino tinha condições”, contou o ex-técnico.

Após ter chegado ao elenco profissional, Ademilson deixou de ter sua mãe como empresária e repassou os cuidados de sua carreira para uma empresa. Mas a fortuna preparada pelo PSG para levar Lucas não o faz pensar, ainda, em aumento. “Não sei se é verdade esse dinheiro todo. Sempre sonhamos em jogar fora, mas hoje estou no São Paulo, focado no São Paulo. O dinheiro e tudo que está aqui está bom para mim, tranquilo.”

As semelhanças entre ele com Lucas parecem inevitáveis, embora o camisa 11 discorde. “Não gosto de ser comparado com trajetórias de outros jogadores. Vou caminhar na minha, o Lucas é o Lucas, está um pouco acima, já na Seleção principal. Estou começando agora. Ele é ele e eu sou eu”, apontou.

Djalma Vassão/Gazeta Press

Atacante não gosta da comparação, mas, como Lucas em 2010, quer ser a revelação do ano

De qualquer forma, é fato que a diretoria já deposita em Ademilson a esperança de substituir o camisa 7. O garoto promete cumprir as ordens, e pede que a equipe se ajuste à possível negociação do astro. “O time tem que se adaptar, é obrigado a isso. Não pode depender só de um jogador. O Lucas é importantíssimo, excelente, mas, se sair, precisamos nos adaptar o mais rápido possível porque não podemos perder pontos.”

 

O sonho de Ademilson, porém, é ter o astro ao seu lado. “Espero jogar com ele, um excelente garoto e um excelente jogador. Gosto dele para caramba. Mas ele me elogia e enche o saco colocando apelido na internet. Isso não está legal. Nem pareço aquele Pequenino”, disse, citando o filme que tem o ator Marlon Wayans como um anão confundido com um bebê.

Como vingança, o atacante promete empenho para descobrir um apelido para Lucas. E, embora não goste, traça os mesmos objetivos que o atleta da Seleção Olímpica tinha ao sair da base, em 2010. “As minhas metas principais hoje são ser a revelação do Brasileiro e ser campeão de algum dos dois torneios que estamos disputando.”

Fonte:  Gazeta  Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*