Após pressão no início, Bauza começa a ‘fazer bem’ ao SP e é elogiado

A frase é do diretor executivo Gustavo Vieira de Oliveira e resume o sentimento da cúpula com Edgardo Bauza. Aos poucos, após um início turbulento, o treinador argentino vai colhendo os frutos de seu trabalho e ganhando a confiança de quem comanda o clube.

Patón está a um passo de levar o time às quartas de final da Libertadores, mas o maior elogio ao treinador bicampeão da América passa pela sua forma de trabalhar. Os dirigentes dizem que Patón se sente parte do planejamento e não se considera “o” planejamento, como é comum de boa parte dos técnicos brasileiros. É por isso, de acordo com os relatos, que reage bem as estratégias propostas pelo clube.

Segundo Gustavo, até o momento o que pauta a relação da diretoria com o treinador é o pacto feito no dia de sua contratação, no ano passado. Naquele dia, no Equador, o dirigente expôs a realidade do clube e perguntou a opinião do técnico.

– Falei de nossas dificuldades financeiras, qual era nossa estratégia e perguntei se ele se via dentro desse projeto: ele disse que sim. A partir daí, com essa sinceridade desde o início, a relação fica mais fácil para os dois – diz o diretor.

O começo, porém, foi difícil. Com campanhas ruins na Libertadores e no Paulista e um futebol nada vistoso, o trabalho do técnico foi questionado. A pressão, porém, não afetou a avaliação do trabalho e Patón seguiu respaldado. Respeito pelo que se alinhou.

Tal respeito pelo acordo não impede, porém, que haja cobrança dos dois lados. No início, Patón insistiu na contratação do lateral-direito argentino Buffarini e do volante paraguaio Ortigoza, que foram comandados por ele no San Lorenzo (ARG). A diretoria não teve êxito, mas hoje vê o treinador mais conformado diante da ascensão de Bruno e Hudson, ambos titulares.

Patón ainda quer mais quatro ou cinco reforços no meio do ano para começar a entregar o time que prometeu. A diretoria diz que é difícil atendê-lo totalmente, mas que não poupará esforços para isso. Desde que as condições estejam de acordo com o trato feito lá atrás.

OS PONTOS DE ELOGIO A BAUZA

Comunhão
Dirigentes gostam da postura de Bauza diante do planejamento. Dizem que ele tem hábito de compartilhar decisões e faz com que todos sintam-se parte do trabalho. Antes do duelo contra o The Strongest (BOL) na Bolívia, por exemplo, Patón comentou que vinha pensando em deixar Ganso no banco. Saiu premiado.
………………….
Garotos
Trabalho na transição da base para o profissional, uma das exigências da diretoria, tem sido louvável, na visão do clube. O São Paulo tem dez jogadores (um terço) de Cotia inscritos na Libertadores e outros tantos treinando no CT da Barra Funda. Bauza também demonstra zelo, caso de Lucas Fernandes, que vem entrando aos poucos no time, e quando protegeu Lucão na época da falha contra o Corinthians.
………………….
Convicções
Desde que chegou, Bauza não abre mão fácil de apostar no que acredita. Já deixou Lugano e Ganso no banco e o time obteve o resultado, contra River Plate e Strongest, respectivamente. Também viu Centurión e Michel Bastos ressurgirem após os gols contra o Toluca. A última aposta é Denis, que segue bancado mesmo após erros sucessivos. Dará certo?

Fonte: Lance

6 comentários em “Após pressão no início, Bauza começa a ‘fazer bem’ ao SP e é elogiado

  1. Estou torcendo muito para que dê certo, mas vou aguardar mais alguns jogos para, aí sim, mudar minha opinião sobre o trabalho do treinador. No momento, repito, torcendo muito para que ele dê certo, ainda não vejo o trabalho que gostaria ver implantado por um técnico no SP. De todos os jogos sob seu comando, o único que me pareceu correto, quanto à forma de jogar, foi o último que ocasionou a goleada sobre os mexicanos. Entretanto, não podemos esquecer o clima da partida: a garra dos jogadores motivados por 50 mil vozes; a pressão pela eliminação ridícula para o Audax, no paulistinha; a ausência de metade dos titulares do adversário. O time parecia jogar com raiva e sempre era maioria disputando a bola. Isto pode ter sido orientação técnica, bem como, atitude individual de cada atleta que cominou com a coletiva. Chamou-me atenção a marcação alta que contou ponto para o treinador, já que, não era o que vinha acontecendo com o time – aliás, é só lembrarmos o jogo contra o Trujillanos (?) fora, quando o time chamou o adversário para seu campo mesmo sabendo da fragilidade do mesmo. Então, por tudo isso acho melhor esperar para ver se houve mesmo mudança no jeito de jogar da equipe, e se esta mudança se deve ao trabalho do treinador, ou se foi apenas um voo de galinha do time…

  2. Torço pelo sucesso de Bauza, mas não sou fã do seu trabalho e ponto final. Ultimamente ele tem feito bem ao clube e nada mais justo do que elogiar quando acerta. Tomara que leve o clube aos títulos que nós torcedores queremos que conquistem.

  3. O portugues que falta a ele, e´o espanhol que nunca tivemos nas escolas publicas, na minha epoca tinha portugues, frances para que interrogacao, ingles, talvez lingua mundial, latim apesar de ser lingua mae, e´ morta e faltou espanhol, sempre, todos nuestros hermanos hablam espanhol e e´uma lingua mundial, talvez depois do ingles a segunda q podemos ser entendidos in the world, nao e´a quarta atraz do chines, indiano, ingles e espanhol. Pode estar seguro q ele estara falando portugues fluentemente em pouco tempo, aliaz se arranjar tempo, para a equipe com certeza ja arrumou, a linguagem do futebol e mundial aq ou em brodowski ou ariranha.

  4. Não sei dzer se esse trabalho é tão bom assim, pq se Deus nos livre, mas se for eliminado, o trabalho dele, será pífio. Se for contar, só teve 2 ou 3 jogos, q o São Paulo jogou realmente bem, o resto foram so jogos horríves, eliminado e goleado pelo Audax, goleado pelo São Bernardo, perdeu para o Strogonoff em casa, onde um brasileiro não perdia a 40 e poucos anos jogando contra bolivianos, é mais teimoso do q um jumento impacado, insistiu um tempão no Centurion, em pessima fase, e agora é a vez de teimar com o Denis no gol, não UM JOGO FORA DE CASA, até agora. Resumindo, o saldo dele ainda esta mais para negativo do q para positivo. Tem q conquistar a libertar, para limpar a barra!

  5. So mane´ e gente q desconhece futebol e so´ sabe PenTelhar para criticar um DT de renome na AS, com capacidade imensa e com outra filosofia de jogo, diferente da mesmice nacional, q nao evolui, aliaz involui.

  6. Tomara que esta matéria, e não eu ,esteja certa. Sou um crítico do Bauza, ainda acho que ele substitui muito mal, mas é visível que o time entendeu o que ele quer.Mas não custava ele fazer um curso de português para melhorar a comunicação com os jogadores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.